Facebook Twitter Linkedin
Modal Marítimo 14 de setembro de 2018

ASAS completa um ano de operação no Tecon Imbituba

O serviço de longo curso ASAS, que liga a Costa Leste da América do Sul à Ásia com escala semanal no Tecon Imbituba, terminal de contêineres operado pela Santos Brasil, completou no mês de agosto seu primeiro ano de operações com resultados bastante positivos. Entre janeiro e julho de 2018, a movimentação do serviço cresceu 28% na comparação com o mesmo período do ano anterior, quando a escala era realizada no porto de Rio Grande (RS).

Para o Diretor Comercial de Operações Portuárias da Santos Brasil, Danilo Ramos, esse resultado evidencia o potencial comercial e operacional do Tecon Imbituba, que está estrategicamente localizado num porto de águas profundas e abrigado, posicionado no centro da região sul do país, equidistante das capitais Curitiba e Porto Alegre, e muito próximo à Florianópolis, um verdadeiro centro de massa que atrai cargas de todas as origens e destinos da região.

Os principais produtos de exportação que utilizam o serviço são celulose, polímeros/polietileno, couro, madeira, carnes bovina e de aves, glicerol, farinhas, concentrados de proteínas, cerâmica e tabaco. Já na importação, as cargas são chapas/vergalhão de aço, produtos plásticos, móveis e artigos de decoração, nitratos de potássio e sódio, tecidos em geral, dióxido de titânio, autopeças, pneus e câmaras de ar, utensílios domésticos, pá carregadeira, entre outros.

“Para cada 1.000 contêineres movimentados pelo serviço ASAS no porto de Rio Grande no ano passado, conseguimos ampliar a movimentação do serviço para 1.280 unidades através do Tecon Imbituba nesse ano. Essa movimentação adicional é resultado direto da confiança dos exportadores e importadores dos estados de Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná na capacidade do terminal em oferecer um nível de serviço elevado, segurança operacional, pois não há cancelamentos de escala por mau tempo, como frequentemente ocorre nos demais portos da região Sul, e ainda, proporcionar uma redução do custo operacional de 40% a 60% quando comparada à concorrência”, ressalta o executivo.

Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Maplink Toyota
GLP
Retrak
Paletrans
Alphaquip
Assine a Revista Logweb
Assine a Revista Logweb
Top do Transporte