Facebook Twitter Linkedin
Modal Marítimo 10 de abril de 2018

Conlog inicia operação de novo terminal de celulose da Fibria no Porto de Santos (SP)

A Conlog (Concórdia Logística) iniciou, em março, a operação portuária do Terminal 32 (T32), localizado na região do Macuco, no Porto de Santos (SP). O T32, voltado para a movimentação de celulose, papel e cargas em geral, foi arrendado pela Fibria, empresa brasileira e líder mundial na produção de celulose de eucalipto a partir de florestas plantadas, após vencer o leilão público realizado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) em dezembro de 2015. O prazo de concessão da área para a Fibria é de 25 anos. A Conlog é a responsável pelo desembarque de celulose do trem, transporte para o armazém, gerenciamento do estoque, movimentação interna no armazém e carregamento e embarque no costado do navio. A operação é realizada em cais público e conta com cerca de 120 profissionais envolvidos em todo o processo.

Para o diretor comercial da Conlog, André Stern, segurança e produtividade são dois fatores primordiais nas operações da empresa. A Conlog também é responsável pela operação portuária da Fibria no Terminais 13, 14,15, em Outeirinhos. “O fato de atuarmos há três anos no Porto de Santos para a Fibria e ampliar o escopo com essa nova operação confirmam o nosso alto desempenho tanto na produtividade quanto nas ações de segurança”, afirma Stern.

A área do Terminal 32 dispõe de um armazém de 33.400 m², com capacidade para armazenar 40 mil toneladas de celulose e capacidade total de embarque de 1,8 milhão de toneladas de celulose por ano. O terminal é parte da solução logística para escoar a produção da segunda fábrica de celulose da Fibria localizada em Três Lagoas (MS), que entrou em operação em agosto de 2017, dois meses antes do prazo inicialmente previsto.

“A operação do Terminal 32 reforça a estratégia e o diferencial competitivo da Fibria em logística integrada às áreas de floresta e indústria, já que exportamos mais de 90% da nossa produção”, afirma Wellington Giacomin, diretor de Logística, Suprimentos e TI da Fibria.

O modal logístico da Fibria é formado pelo Terminal Intermodal de Aparecida do Taboado (MS), de onde a produção da unidade de Três Lagoas é embarcada direto para o Porto de Santos (SP). Resultado de investimentos de R$ 7,345 bilhões, a nova fábrica da empresa tem capacidade de produção de 1,95 milhão de toneladas de celulose de eucalipto por ano. Incluindo a primeira unidade, já em funcionamento na cidade, a empresa passa a ter uma capacidade de produção de 3,25 milhões de toneladas de celulose/ano apenas no estado do Mato Grosso do Sul. Somando todas as suas unidades, a Fibria tem uma capacidade anual de produção de 7,25 milhões de toneladas de celulose/ano.

Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Maplink Toyota
GLP
Retrak
Paletrans
Alphaquip
Assine a Revista Logweb
Assine a Revista Logweb
Top do Transporte