Facebook Twitter Linkedin Instagram
Investimento 17 de janeiro de 2019

Daimler Trucks investe meio bilhão de Euros em caminhões autônomos

A Daimler Trucks anunciou na “Consumer Electronics Show – CES”, maior feira de eletrônicos do mundo, que investirá mais 500 milhões de Euros no desenvolvimento de caminhões autônomos (SAE Nível 4).

A automação de Nível 4 se caracteriza pela rodagem autônoma em áreas definidas e entre locais específicos, dispensando a intervenção do motorista. No transporte rodoviário comercial, essa tecnologia é a próxima fase depois do Nível 2, aumentando a eficiência e a produtividade para os clientes e reduzindo os custos operacionais. Assim, a Daimler Trucks pula a etapa intermediária Nível 3 (condução autônoma condicional).

Em sua apresentação na CES, a Daimler Trucks também fez a estreia mundial do novo Cascadia da Freightliner com recursos de condução parcialmente autônoma (Nível 2), o que o torna o primeiro caminhão de produção em série dessa categoria nas estradas norte-americanas.

Líder mundial na produção de caminhões, a Daimler Trucks tem sido pioneira no desenvolvimento de veículos autônomos há anos. Em 2014, apresentou o Future Truck 2025 da Mercedes-Benz, primeiro caminhão autônomo do mundo, e foi a primeira a demonstrar as oportunidades tecnológicas e o grande potencial que essa solução inovadora apresenta para a economia e a sociedade.

Martin Daum, membro do Board do Grupo Daimler AG e chefe mundial das divisões Daimler Trucks e Daimler Buses, diz: “Como líder em nosso setor, fomos os pioneiros no desenvolvimento de caminhões autônomos. Em 2015, nosso Inspiration Truck da Freightliner conseguiu obter a primeira licença para rodar concedida a um veículo comercial autônomo. Agora, levamos esses caminhões para o próximo nível. Ou seja, lançamos o novo Cascadia parcialmente autônomo da Freightliner em 2019 – e depois, partiremos para os caminhões autônomos, que irão aumentar a segurança, melhorar o desempenho da logística e oferecer uma proposta de grande valor aos nossos clientes, contribuindo assim para um futuro sustentável dos transportes”.

A condução autônoma Nível 2 é uma realidade no novo Cascadia

Com o Active Drive Assist (Mercedes-Benz Actros, FUSO Super Great) e o Detroit Assurance 5.0 com Active Lane Assist (Freightliner new Cascadia), a Daimler Trucks já está trazendo recursos da condução parcialmente autônoma para a produção em série. O novo sistema consegue frear, acelerar e dirigir de maneira autônoma. Ao contrário dos sistemas que só funcionam acima de certa velocidade, o Active Drive Assist e o Detroit Assurance 5.0 tornam possível a condução parcialmente autônoma em todas as faixas de velocidade.

Nível 4 amplia a segurança, a eficiência e a competitividade

Os caminhões autônomos (Nível 4) oferecem muitas vantagens. Atualmente, há uma crescente demanda na sociedade por estradas mais seguras e soluções de transporte mais sustentáveis – e os caminhões com Nível 4 podem contribuir para isso. Esses veículos melhoram a segurança devido ao grande número de sensores e sistemas que nunca ficam cansados e nem deixam de estar atentos.

Essa tecnologia também melhora a eficiência e a produtividade devido ao maior uso dos veículos. É possível, por exemplo, viajar à noite e evitar os congestionamentos por meio do gerenciamento inteligente das rotas. Isso tem efeitos positivos para os clientes de caminhões e para toda a economia: a competitividade está fortemente relacionada com a eficiência da logística. Esse aspecto se torna cada vez mais relevante, pois se prevê que o volume global de transporte rodoviário de carga vai mais que dobrar entre 2015 e 2050.

Direção autônoma já é realidade na linha Mercedes-Benz no Brasil

Em 2018, a Mercedes-Benz do Brasil, em parceria exclusiva com a Grunner, empresa de tecnologia para o campo, lançou o Axor 3131 com direção autônoma. Esse é o primeiro caminhão da marca com condução autônoma a ser utilizado numa operação diária de colheita de cana-de-açúcar no Brasil.

O Axor 3131 atua lado a lado com as colhedoras de cana, também de condução autônoma, que fazem a colheita e o corte, já lançando a cana picada diretamente na carroçaria do caminhão. Terminado o carregamento, o motorista assume o controle do Axor para a etapa de transbordo aos treminhões, ou seja, o descarregamento da carga nos caminhões de maior capacidade, que completam o ciclo de transporte levando a cana às usinas de açúcar e etanol.

Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Brasil Log
Brasil Log
Brasil Log
BYD Business Park Tokio Marine Translifit Retrak w6connect