Facebook Twitter Linkedin
Tecnologia 11 de julho de 2018

Nova plataforma de registro de contêineres visa a reduzir custos e emissão de CO2

O setor de transporte de contêineres corresponde hoje por cerca de 60% de todo o comércio transoceânico mundial. No entanto, tem enfrentado problemas há anos, como excesso de capacidade, baixas taxas de frete, ameaças à segurança e aumento do impacto ambiental. Em 2017, por exemplo, a enorme frota mundial de contêineres foi usada para o transporte de todos os tipos de mercadorias, com um valor aproximado de US$ 12 trilhões.
O problema é que não há um registro único do movimento e a falta de rastreamento em tempo real resulta em um grande número de contêineres vazios sendo movimentados desnecessariamente, gerando altos custos para as empresas e poluindo o meio ambiente.
Detectando a necessidade de uma transformação digital do segmento, a Blockshipping, empresa dinamarquesa focada em registro de contêineres, está criando a GSCP – Global Shared Container Platform, primeira solução que faz o registro de aproximadamente 27 milhões de contêineres que circulam em todo mundo em tempo real e permite que seja realizada uma ampla gama de transações relacionadas ao seu manuseio globalmente.
O fundador e CEO da companhia, Peter Ludvigsen, que está na indústria de contêineres há 39 anos e atuou como CIO da Maersk Line, explica que a plataforma foi projetada para tornar os principais processos na manipulação global de contêineres significativamente mais eficientes.
“Em primeiro lugar, sua finalidade é fornecer um registro completo de ativos de contêineres em blockchain, como um registro de navios, onde o inventário global completo de contêineres é registrado junto com locais em tempo real de cada único recipiente em todo o mundo”, expõe.
Segundo ele, o objetivo dentro de três a quatro anos é alcançar uma cobertura de mercado de 60% com 16 milhões de unidades de contêiner no registro de blockchain da GSCP. “A plataforma permitirá um potencial de economia para a indústria global de contêineres de pelo menos US$ 5,7 bilhões por ano. Além disso, espera-se que reduza a emissão global de CO2 em cerca de 4,6 milhões de toneladas por ano”, acrescenta.
A economia para as transportadoras de contêineres globais se dará em três áreas diferentes: redução no reposicionamento de contêiner vazio, da frota global de contêineres e no transporte vazio/custo intermodal.
“O potencial de economia anual de US$ 5,7 bilhões não pode ser realizado individualmente por nenhuma operadora. Ele se concretizará somente se as empresas começarem a colaborar no compartilhamento de contêineres”, destaca o CEO da Blockshipping.
As taxas de transação na plataforma GSCP que a companhia irá gerar são baseadas em 14 produtos e serviços diferentes. Para cada um, existe um mecanismo de preços diferente, baseado na proposta de valor para o cliente ou usuário que consome ou usa cada produto ou serviço.
Ludvigsen conta que, em geral, o preço é definido em um nível significativamente abaixo do custo atual se o cliente estiver seguindo seu processo atual. “Por exemplo, definimos o preço de uma mensagem EDI para US$ 0,08, o que acredito estar bem abaixo do custo atual de suportar as mensagens EDI hoje no setor de remessas”, detalha.
Para o mercado brasileiro, Ludvigsen aponta os seguintes benefícios:
• Menos congestionamento nas estradas devido à redução de viagens vazias em contêineres;
• Menos tempo de espera nos portões fora dos terminais de contêiner; e
• Melhor utilização de caminhões, permitindo que caminhoneiros realizem mais viagens por dia, em vez de esperar na fila.
Ao usar a plataforma GSCP, a Blockshipping permite que as operadoras melhorem a qualidade de suas decisões de preços, evitando o uso de desequilíbrios de contêineres anteriores ou médios e, ao invés disso, usando desequilíbrios de contêineres previstos e garantindo o custo no momento da reserva. O transportador saberá antecipadamente a contribuição líquida para reservas de contêineres de ponta a ponta e poderá essencialmente criar um P&L para cada reserva de contêiner.
As transportadoras, as bolsas de mercadorias, os NVOCCs e outros provedores de slots poderão executar reservas com base no conhecimento antecipado do número específico de contêiner com a receita de frete e o custo de movimentação de contêineres conhecidos e bloqueados e liquidados por meio de contratos inteligentes blockchain.
Ludvigsen diz que pode haver vários outros impactos na logística marítima. “Existem alguns provedores de serviços na indústria naval que lucram com a falta de transparência e visibilidade na cadeia de suprimentos global. A plataforma GSCP fornecerá muito mais visibilidade, o que beneficiará os BCOs e os Container Carriers. As transportadoras de contêineres poderão gerenciar e operar seus contêineres com muito mais eficiência, o que resulta em melhor serviço aos clientes finais e redução de custos para as transportadoras”, expõe.
Uma visão de longo prazo do GSCP é que as transportadoras de contêineres não precisarão possuir seus próprios contêineres no futuro, mas poderão usar o GSCP para garantir a disponibilidade da mesma maneira que se fossem arrendados ou próprios. Isso permitirá que elas descarreguem ativos amarrados em contêineres.

Diferencial
Um dos grandes diferenciais da Blockshipping nesse mercado é que a empresa anunciou sua oferta inicial de moedas em ICO – Initial Coin Offering, ou seja, a empresa não busca clientes, mas investidores.
O ICO da plataforma da Blockshipping oferece aos envolvidos um conjunto exclusivo de recursos de token, incluindo os benefícios de um modelo de participação nos lucros e um Market Maker Fund, que permite que os investidores vendam suas moedas de volta à plataforma por um preço mínimo até que o Blockshipping atinja sua meta fixa para o desenvolvimento da plataforma GSCP.
O GSCP é considerado o primeiro ICO dinamarquês relacionado ao transporte realizado na região escandinava. “O GSCP já é financiado por investidores-anjos privados e pela The Danish Maritime Foundation. Mas o ICO nos permite acelerar ainda mais o desenvolvimento da plataforma. É importante enfatizar que o ICO da plataforma da Blockshipping é baseado em um plano de negócios validado pelos principais interessados no setor de navegação e com base em economias e benefícios reais e bem definidos para o setor de navegação e meio ambiente”, ressalta Ludvigsen.
Depois de estudar o mercado, a Blockshipping criou um modelo de token que inclui um conjunto de recursos que envolve a emissão de dois tokens diferentes. O token de utilitário interno para a plataforma de contêiner chamado de CPT e o token externo de compartilhamento de receita chamado de CCC (Container Crypto Coin).
O CPT será usado para compensação e liquidação de transações entre os usuários da plataforma, que cobrirão os diversos serviços e taxas relacionados ao manuseio global de contêineres. Uma porcentagem da receita dessas transações vai para um pool de compartilhamento de receita e é repassada aos proprietários dos tokens do CCC uma vez por mês por meio de um leilão holandês reverso no blockchain da Ethereum.

CMA CGM lança solução para tracking de contêineres
Como parte de sua estratégia de Customer Centricity, o Grupo CMA CGM acaba de lançar o Traxens by CMA CGM, equipamento fixado ao contêiner que permite registrar sua posição, em qualquer lugar; a intensidade de choques potenciais; a variação da temperatura externa – e, em breve, a umidade e a temperatura dentro do contêiner; a abertura e o fechamento de portas.
Graças ao sistema de alerta em tempo real, os clientes do grupo podem rastrear suas mercadorias e, com isso, ser mais reativos em cada etapa do transporte. Assim, o gerenciamento da cadeia logística é facilitado através de uma interface online intuitiva e simples de utilizar.
O Traxens by CMA CGM pode vir com um completo diagnóstico. Além da transferência de dados, uma equipe poderá acompanhar e auxiliar os clientes na análise das informações. Assim, será possível identificar dificuldades logísticas e implementar soluções concretas para reduzir custos e melhorar a segurança do transporte.
“A disponibilização de contêineres inteligentes na frota do grupo permitirá coletar e analisar muitas informações necessárias para melhorar a oferta de serviços aos clientes e os auxiliará a otimizar suas cadeias logísticas”, declara Mathieu Friedberg, Senior Vice-President Commercial and Agency Network.

Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Maplink Toyota
GLP
Retrak
Paletrans
Alphaquip
Assine a Revista Logweb
Assine a Revista Logweb
Top do Transporte