Facebook Twitter Linkedin Instagram
Intralogística 26 de novembro de 2018

Trelleborg passa a fabricar linha de pneus Elite XP Pit Stop Line no Brasil

Cobertura: Carol Gonçalves

 

Fornecedora global de pneus e rodas completas para empilhadeiras e outros equipamentos de movimentação de materiais, a Trelleborg Wheel Systems (Fone: 11 2802.9258) promoveu uma visita à fábrica de Feira de Santana, na Bahia, para anunciar o início da produção dos pneus superelásticos premium da linha Elite XP com a tecnologia Pit Stop Line.

Funciona assim: quando o pneu está chegando ao fim da sua vida útil, aparece uma faixa de cor laranja no centro da banda de rodagem, indicando que restam aproximadamente 100 horas de trabalho, possibilitando a substituição no momento certo.

Uma de suas vantagens, justamente, é melhorar o planejamento, facilitando o agendamento do serviço de troca. Segundo Eduardo de Souza Pinto, diretor comercial da Trelleborg, 75% dos pneus são substituídos antes da hora. O motivo principal é o desconhecimento das diretrizes de segurança dos pneus industriais, que, diferentemente dos automotivos, não têm o desgaste associado à profundidade da garra.

Com a solução, é possível reduzir o número de trocas em até 20% em cinco anos de uso, baseado em dois pneus superelásticos por ano. Sem falar que, ao gerar menos desperdícios, contribuí para a diminuição do impacto ambiental.

A substituição prematura também significa máquina e operador parados, gerando mais custos operacionais e menor produtividade. “Em uma frota de 15 empilhadeiras, o custo extra com a compra de pneus sem necessidade em um período de cinco anos é de R$ 32.000,00 ou, aproximadamente, 30 pneus”, explicou Eduardo.

Outra vantagem é que aumenta a segurança das operações, pois pesquisas da empresa indicam que 8% dos pneus são utilizados além do limite, gerando riscos para o operador, além de afetar o funcionamento da máquina.

“O lançamento oficial da nova linha será no primeiro trimestre de 2019, quando os produtos começarão a ser comercializados”, revelou Eduardo. A faixa Pit Stop Line está sendo aplicada na linha Elite XP em sete medidas (5.00-8; 18×7-8; 6.00-9; 6.50-10; 7.00-12; 28×9-15; e 8.25-15), que representam de 80% a 85% do volume do mercado. Antes disso, os pneus comercializados com essa tecnologia eram importados da fábrica da empresa no Sri Lanka, país insular asiático com destaque mundial no processamento de borracha.

Entre as empresas que participaram da visita esteve a Alphaquip, de Barueri, SP, que, há pelo menos 15 anos, utiliza os pneus da Trelleborg nos serviços de reposição oferecidos aos seus clientes. A empresa, que tem 31 anos de mercado, vende e loca empilhadeiras das marcas Clark e Paletrans, oferecendo, também, assistência técnica.

“O Pit Stop Line significa uma reeducação do usuário. Temos clientes que acham que quando o pneu está liso, precisa ser substituído. Por conta disso, ainda há muito desperdício de matéria-prima”, disse João Kassardjian, diretor da Alphaquip. Para ele, este produto é uma grande ferramenta para quem atua com locação de empilhadeiras.

João também falou sobre a importância da fabricação do Pit Stop Line no Brasil. Além de permitir as vendas por intermédio do BNDES, ainda cria empregos na região.

 

Estrutura

Única fábrica da unidade de negócios Wheel Systems no Brasil, a planta fabril de Feira de Santana possui 45.000 m² de área, sendo 10.000 m² construídos. Conta com 140 colaboradores e tem capacidade para produzir 100 mil pneus por ano. Deste total, 70% são destinados ao mercado sul-americano (sendo 90% para o Brasil), e 30% aos mercados europeu e americano. No local são produzidas as linhas de superelásticos ST-3000, ST-2000 Premium, ST-2000 e, agora, a Elite XP Pit Stop Line.

José Carlos Oliveira, presidente da Trelleborg Wheel Systems na América do Sul, contou que foram investidos 6 milhões de reais na nova linha de produção, incluindo moldes, maquinário e robô para aplicação da faixa laranja, pois esse processo só pode ser feito de forma automatizada.

O projeto começou a ser desenvolvido há cerca de dois anos. “Os primeiros testes aconteceram em outubro último. Como são várias medidas de pneus, iniciamos gradualmente a fase de produção. Para cada uma delas é preciso realizar testes e ajustes”, explicou.

Com a produção local, a Trelleborg espera aumentar suas vendas e comercializar cerca de 10 mil unidades por ano da linha Elite XP Pit Stop Line. Para a exportação, Oliveira diz que ainda há um caminho a ser desbravado. “Quando consolidarmos a venda aqui no Brasil, abriremos novos horizontes para a América do Sul, que, por enquanto, também depende da importação do Sri Lanka”, disse.

Uma das vantagens com a nova linha na Bahia é a redução do prazo de entrega. Hoje, são 120 dias para os produtos chegarem do país asiático. Com a fabricação nacional, esse tempo cai para 30 dias. “A vantagem logística é muito grande. Além disso, valorizamos a produção local”, ressaltou.

 

Serviços

Na ocasião, também foi apresentada o Interfit, sistema de prestação de serviço da Trelleborg que oferece venda de pneus de empilhadeiras com montagem, logística e consultoria técnica.

O processo de montagem é realizado através de uma prensa, que retira a roda e a encaixa no pneu novo. Não é possível fazer isso de forma manual. O serviço completo leva cerca de 20 minutos, sem falar do tempo despendido quando é preciso substituir uma roda enferrujada ou amassada.

Para oferecer mais comodidade aos clientes, a empresa está expandindo seus serviços de retirada e entrega de pneus e rodas, evitando o deslocamento dos representantes, que podem, com isso, se dedicar a atividades mais produtivas.

Durante o encontro também foi destacada a parceria da Trelleborg com a ReciclANIP, entidade gestora do sistema de logística reversa de pneus inservíveis. Assim, as empresas podem descartar os pneus da marca nos pontos de coleta espalhados por todo o Brasil.

Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Savoy
Brasil Log
Brasil Log
Brasil Log
Retrak Forexsa Toyota Profishop 2019 Alphaquip