Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Conteúdo 6 de julho de 2021

Como as metodologias ágeis podem contribuir no planejamento de uma empresa do setor de logística?

Por Diego Pontes*

Quando se fala em metodologias ágeis é possível que haja uma correlação direta com empresas de tecnologia. Embora tenham nascido em times de TI, elas se espalharam rapidamente por outras áreas que desejam desenvolver novas soluções ou modelos de negócios para garantir mais eficiência e competitividade. Com equipes multidisciplinares que trabalham de maneira colaborativa é possível quebrar os objetivos em várias partes, permitindo errar e corrigir algo rapidamente. Assim, projetos que antes levavam meses para ser elaborados podem ser testados e implementados em dias.

No segmento logístico, as metodologias ágeis também são utilizadas no planejamento e execução de projetos. O objetivo é apresentar alternativas que viabilizem entregas mais rápidas, garantindo a segurança em toda a cadeia e redução de custos.

E como promover essa transformação que busca, no fundo, agregar valor e oferecer uma experiência diferenciada ao cliente? A resposta está na utilização correta de todo o potencial oferecido pelos dados, combinando Big Data e ferramentas como Analytics e Inteligência Artificial para entender as necessidades do cliente, gerenciar o relacionamento e apresentar soluções que contribuam no dia a dia dos negócios.

Cada vez mais, a inovação deve nortear as estratégias das corporações. Se a transformação digital era vista com um projeto futuro, a pandemia acelerou a adoção de novas tecnologias para garantir a sobrevivência de muitas empresas. Neste cenário, algumas metodologias desempenharam um papel fundamental na definição de novos produtos ou na melhoria de algumas soluções, inclusive nas empresas de logística e comércio exterior. Entre elas estão o Design Thinking, Scrum, Sprints e Lean Agile.

O Design Thinking é um processo no qual as pessoas se colocam na posição do cliente para entender seus problemas, desafiar suposições e criar estratégias. O Scrum, por sua vez, organiza etapas do projeto em Sprints, ou seja, iterações curtas para otimizar ao máximo os processos, evitando desperdícios e burocracia. É justamente nas Sprints que são realizados os testes para identificar possíveis falhas e eliminá-las. Já o

Lean Agile prevê a melhoria contínua dos processos e redução dos desperdícios com a adoção de tecnologias mais eficientes.

O mais interessante das metodologias ágeis é a rapidez para mudar. Elas substituem os modelos tradicionais de planejamento, em que uma área só começa a desenvolver sua tarefa depois que a outra termina, por ajustes em tempo real durante a execução de um projeto, o que oferece mais agilidade para fazer adequações ou mudar a rota. Os ciclos mais curtos de entrega valorizam a multidisciplinaridade, estimulam o conhecimento e melhorias contínuas, além de valorizar pessoas motivadas a oferecer a melhor experiência ao cliente (CX).

*Diego Pontes é Gerente de Projetos na Asia Shipping, maior integradora de cargas da América Latina.

Sds
Kivnon
Geotab
Expo
Expo
Expo
Expo
Expo
Expo
Expo
Expo
Expo
Expo
Expo
Retrak
savoy
itapevi
postal