Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
E-commerce 19 de novembro de 2021

Black Friday: condomínios logísticos são cruciais para entrega rápida

Curitiba, Parana, Brasil, 04 de novembro de 2019. Legenda: Mega Curitiba (Capital Realty) Foto: Guilherme Pupo

Curitiba, Parana, Brasil, 04 de novembro de 2019. Legenda: Mega Curitiba (Capital Realty) Foto: Guilherme Pupo

A corrida para oferecer entregas mais rápidas aos clientes, especialmente em eventos de grande escala, como a Black Friday e o Natal, faz empresas varejistas investirem ainda mais em Centros de Distribuição (CDs), ao invés de em galpões de armazenamento próprios. Especialmente para as empresas de e-commerce, a malha logística que compõem esses Centros de Distribuição é crucial para garantir as entregas ao consumidor final rapidamente.

“As empresas buscam locações em condomínios logísticos principalmente pela infraestrutura oferecida. Os principais desenvolvedores do mercado imobiliário conseguem garantir o padrão construtivo com alta tecnologia, além de serviços como manutenção, segurança, portaria blindada, refeitório com atendimentos de empresas especializadas, entre outros. Para montar a mesma estrutura e serviços que são oferecidos em condomínio em um imóvel isolado, o locatário acaba gastando até quatro vezes mais”, diz Jéssica Mesquita, sócia e gerente de expansão da Erea Advisory, empresa de consultoria com foco na estruturação de operações e projetos imobiliários.

Na Região Sul, um dos principais nomes do mercado é a Capital Realty, que atua na área de condomínios logísticos industriais e infraestrutura logística. Com clientes de grande porte, como o Grupo Boticário e a MadeiraMadeira, a empresa está finalizando uma nova ampliação do seu condomínio logístico em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba. O local oferecerá mais 27 mil metros quadrados de área construída, permitindo que novas empresas usem o espaço para montar seus Centros de Distribuição. O condomínio passa a ter 97 mil metros quadrados de área construída, somando-se aos 70 mil metros quadrados já existentes. O investimento é de R$ 50 milhões. A empresa também opera em Itajaí, SC, Esteio, RS, e possui projeto de expansão em Canoas, RS.

“O e-commerce está cada vez mais fortalecido com a compra de produtos pela internet e quando se trabalha nessa área, os Operadores Logísticos devem estar próximos aos grandes centros consumidores do país. Centros logísticos, como os da Capital Realty, estão localizados estrategicamente em regiões de grande consumo da região Sul, permitindo entregas ultra rápidas e que são cruciais para grandes eventos, como a Black Friday”, explica Rodrigo Demeterco, presidente da Capital Realty.

Além do eixo Rio-São Paulo

De acordo com a gerente da Erea, o mercado logístico no Brasil conta com 75% de seu estoque alocado na Região Sudeste, sendo que mais de 70% do estoque da região está concentrada no Estado de São Paulo. Com as principais empresas já estruturadas nesses locais, a tendência do mercado é pela descentralização das operações logísticas.

“Esse movimento já está acontecendo, principalmente com as gigantes do e-commerce. Cada vez mais as regiões Norte, Nordeste e Sul começam a ser mais exploradas, sendo que o Sul do Brasil tem sido muito atrativo, especialmente em Itajaí, que conta com o segundo maior porto do país e após o governo do Estado criar medidas para atrair investimentos por meio de um conjunto de benefícios fiscais que incluem uma política expressiva de redução de ICMS”, analisa Mesquita.

webinar
webinar
alperseguros
fronius
Retrak
savoy
postal