Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Logística e Meio Ambiente 5 de novembro de 2020

Carrefour reduz em 17% a tonelada de CO2 emitido na logística de transportes

Alinhada à meta internacional do Grupo Carrefour de descarbonizar seus negócios e reduzir as emissões de CO2 dos produtos vendidos em suas lojas em 20 megatons até 2030, a companhia está investindo em iniciativas para aumentar a eficiência em logística, na mudança da matriz energética da sua frota e em um programa de neutralização de carbono no Brasil. Como resultado, comparando o primeiro semestre de 2020 e 2019, houve uma redução de 17% na tonelagem de CO2 emitido na distribuição de mercadorias.

Cada projeto possui sua particularidade de implantação e são muitas as características para definição do melhor formato de atendimento de cada bandeira ou operação. “O tripé de sustentabilidade – econômico, social e ambiental – é um dos pilares das iniciativas do Grupo Carrefour, portanto, equilíbrio entre emissão e compensação de CO2  são sempre elementos fundamentais que levamos em consideração para os projetos: o reequilíbrio da matriz energética, a mitigação da utilização de diesel, a busca por novas fontes de energia pautadas em gás e eletricidade e por novos modelos de roteirização e torre de controle para otimizar o processo de distribuição. E o residual de emissão de CO2 será compensado a partir de parceiros”, explica o diretor Executivo de Supply Chain, Marcelo Lopes. Ele também ressalta que as iniciativas são aplicadas em todo o país nas operações de distribuição de produtos dos seus 14 CDs para as lojas nos formatos Hipermercado, Supermercado, Bairro e Express.

Para se ter uma ideia, a revisão de processos para aumentar a eficiência nos transportes proporcionou a redução da quilometragem rodada, o aumento do volume expedido por veículo e, consequentemente, um número menor de viagens. Em 2019, por exemplo, a rota São Paulo/Manaus começou a ser realizada via cabotagem, evitando-se 203.000 km rodados em estradas. Já na rota São Paulo/Pernambuco, foi adotado o Rodotrem – um veículo com maior capacidade de carga.

Lopes explica que a área de transportes do Carrefour Brasil está cada vez mais empenhada em reduzir a emissão de carbono e ganhar eficiência logística em toda a sua cadeia de abastecimento e, para isto, a mudança na mentalidade é fundamental. “Estes resultados são obtidos através de um conjunto de iniciativas como, por exemplo, revisão da malha logística, melhor ocupação dos veículos empregados na operação, implantação de novos modelos de abastecimento por meio de outros modais, cabotagem e implementação de novos veículos, como o rodotrem que utilizamos atualmente.”

Neste último caso, vale destacar que, como estratégia, a empresa não utiliza frota própria. Todas as operações são realizadas por terceiros especializados e dedicados ao Carrefour, inclusive a operação do rodotrem. “Ele é indicado e utilizado nas viagens de longa distância e em rotas que possuem grande demanda de abastecimento como, por exemplo, em nossas transferências de São Paulo a Pernambuco, que têm uma frequência quase que diária. Desta forma, conseguimos transferir mais produtos com menos emissão de CO2.”

Quanto à cabotagem, ela também se mostra viável para o Carrefour, pois, segundo o diretor Executivo de Supply Chain, além de ser menos poluente e com menor índice de acidentes, também apresenta um menor custo que, dependendo da região de atendimento, pode permitir uma economia de até 40%. Quanto aos produtos transportados, Lopes ressalta que, com exceção dos eletroeletrônicos, as demais categorias são todas transportadas via cabotagem, como o alimentar, bazar e têxtil.

Além destas, foram adotadas diversas ações para a redução das emissões de CO2: revisão da malha logística através do projeto “Cross Docking entre os CDs”; adequação do perfil de veículo em função do formato de loja/canal de venda; projeto de melhoria de ocupação dos veículos de abastecimento dos CDs para as lojas; kanban de abastecimento para as operações de Express; ampliação do atendimento via cabotagem; e implementação de veículos movidos a GNV.

 

Dark store

Para ampliar a capacidade de entrega e capilaridade, o Carrefour começou a operar com uma dark store e aprimorou esse modelo para atender com 11 side stores – minicentros de distribuição acoplados à loja física para atender o e-commerce alimentar e aplicativos – estrategicamente localizadas. “Assim, conseguimos ter um CD próximo aos centros urbanos e facilitar o envio de mercadorias para as compras feitas pelo e-commerce. Para se ter uma ideia do tamanho da operação e de sua complexidade, somente no 1º semestre de 2020 realizamos mais de 54 mil viagens, o equivalente a 150 milhões de km percorridos, e movimentamos mais de 64 milhões de caixas pelo Brasil, além de entregar mais de 2 milhões de pedidos do e-commerce.”

Inicialmente, todos os projetos estão sendo adotados com base nos conceitos da filosofia Lean Manufacturing e conectadas às ações do projeto “Supply Chain Excelência Operacional” – SEO.

Dentro desse projeto, a automação e a melhoria contínua são pilares fundamentais que irão evoluir estas ferramentas como, por exemplo, a torre de controle e o roteirizador, potencializando ainda mais os ganhos de eficiência logística já obtidos até o presente momento e, consequentemente, gerando uma operação mais sustentável.

Ainda falando sobre a mitigação da poluição, Lopes lembra que todos os CDs do Carrefour estão interligados com o projeto Encaixe, que é a transferência de mercadorias para eles e, posteriormente, a distribuição para atendimento das lojas através de um modelo Cross Docking. “Todas as unidades participam da mitigação e, ainda este ano, fecharemos uma parceria para a mitigação de 100% da emissão de CO2 até 2021, além de fomentar a redução das emissões no Carrefour.”

Todas estas ações já adotadas proporcionaram uma redução de 634 mil quilômetros rodados e de 661 mil toneladas nas emissões de CO2 de janeiro a junho de 2020, ou seja, 17% de redução de emissão de CO2 em comparação ao mesmo período de 2019.

Outras ações também estão sendo adotadas, dentre elas a principal é a contratação de uma empresa que, através de projetos de preservação ambiental e educação quanto ao tema sustentabilidade, irá mitigar toda a emissão de CO2 nos transportes do Carrefour.

De fato, ajustes na logística, com a expedição direta entre Centros de Distribuição nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e para o Distrito Federal, bem como a melhor ocupação e acomodação da carga nos CDs, também implicaram em maior eficiência. A alteração no perfil dos veículos para abastecer a loja Pamplona, em São Paulo, é outro exemplo de aumento da produtividade. Ao invés de empregar nove veículos de pequeno porte e um de grande porte, a operação passou a ser feita por cinco de porte grande e apenas um de pequeno porte. Esse modelo gerou maior aproveitamento dos transportes e, portanto, menos viagens.

A tecnologia também é uma aliada do Grupo Carrefour Brasil para a diminuição dos gases poluentes na operação. Para reduzir a dependência de energias fósseis, a companhia adotou o Gás Natural Liquefeito (GNL). Dois caminhões ecológicos – que emitem 15% menos CO2 que a versão a diesel – estão circulando desde julho e atendem lojas da capital paulista e interior do Estado.

São veículos 100% elétricos, equipados com uma bateria de 97 kWh, com 250 km de autonomia e zero de poluição. Além de não emitirem CO2, também não provocam vibração ou ruídos, colaborando para redução da poluição sonora. O grupo também busca parcerias para a utilização de agrocombustíveis como o biometano, cuja redução de gases poluentes pode chegar a 90%, mas ainda não está disponível em larga escala no mercado.

Outra frente para assegurar a sustentabilidade em logística é a neutralização de emissão de CO2. O grupo tem mitigado os gases de efeito estufa de sua operação por meio de projetos ecossistêmicos que englobam reflorestamento e proteção da biodiversidade, piscicultura, apicultura e educação ambiental. Apenas no primeiro semestre de 2020, houve 100% de compensação do CO2 emitido na operação de perecíveis de São Paulo, o equivalente a cerca de uma tonelada do gás.

“A meta é alcançar de 30% a 40% de redução de emissões logísticas, apenas com o sequestro de carbono”, informa Lopes. “Em longo prazo, também planejamos ter infraestrutura para transformar resíduos de alimentos das lojas em biomassa para combustível de nossa frota, o que seria um ganho também no aspecto da economia circular”, antecipa.

Estratégia global

Todos os projetos fazem parte da estratégia global do Grupo Carrefour para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e seus impactos para o aquecimento global e a produção de alimentos no mundo. Conectada aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, a eficiência de logística está ligada às ODS’s 11 e 13 da ONU.

O Grupo Carrefour desenvolve globalmente várias iniciativas ligadas às reduções de emissões e impactos para o clima. As ações brasileiras se somam aos compromissos planetários e, principalmente, aos objetivos do desenvolvimento sustentável da ONU.

 

Próximos passos

Com relação aos próximos passos neste processo, o diretor Executivo de Supply Chain ressalta que o Carrefour pretende continuar com as implementações de ações que visam a redução de emissão de CO2, mapeando novos fornecedores para veículos menos poluentes, ajustando constantemente a malha logística e ampliando essas ações para a logística do e-commerce, bem como conscientizar ainda mais os seus parceiros sobre a relevância desse tema. “Nossa meta global é garantir 100% de neutralização do CO2 emitido em toda a cadeia de Supply Chain, apoiando a estratégia do Grupo Carrefour em todo o mundo.”

Newsletter
Cadastre-se aqui

JLL
Savoy
Retrak
4K