Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Conteúdo 1 de julho de 2022

The dark side of the moon – Cap.5

O lado oculto da lua é a inspiração para eu contar fatos que existem, mas muitos desconhecem, e que tive a sorte de vivenciar como um protagonista da Logística.

 

YO NO SOY MARINERO, SOY CAPITÁN, SOY CAPITÁN

Começo esse artigo da série The Dark Side of the Monn (título de sucesso do Pink Floyd) com outra música de sucesso mundial. Tenho certeza que todos conhecem o clássico “La Bamba”, música do folclore mexicano do Século 19, e em 1958 lançada pelo cantor Ritchie Valens em formato de rock and roll.

Dela tirei essa frase para ilustrar a diferença entre “Profissão” e “Função”. Marinheiro é uma profissão (ver detalhes no link, clique aqui) e por outro lado “Capitão é uma função em que o oficial sai da Escola Naval como Aspirante e pode chegar a Almirante (ver detalhes no link, clique aqui).

Na letra da música fica claro que o “conquistador” quer parecer importante diante da garota (yo no soy marinero, soy capitán).

Dando um salto no tempo, e saindo da música para meu mundo da Logística, faço a transição assim: recém-formado, comecei a trabalhar na General Motors do Brasil e meu cargo registrado na CP foi “Engenheiro de Desenvolvimento de Fornecedores”, aí mantida a “Profissão e o Cargo”. Poucos meses depois, fui promovido a “Supervisor de Engenharia de Movimentação de Materiais”. A profissão deu lugar ao cargo e esse à função.

Em seguida fui escalado para o projeto em Detroit/USA e tomei contato com a palavra “Logística”, me tornei membro da Society of Logistics Engeneers. Mas, o fato curioso sobre “Profissão e Função” se deu no momento do check in no hotel. Então com 27 anos, ainda “marinheiro de primeira viagem”, ao preencher a ficha de hóspede, no campo “Profissão” fiquei na dúvida!! Coloco “engenheiro” ou “supervisor”. Errei e coloquei “supervisor”!!

Quem ler esse artigo até aqui, deve estar se perguntando: “yokiko?” = O que tenho a ver com isso?

Vamos lá: Se você tem uma formação profissional, qualquer que seja, e trabalha em alguma atividade do universo da Logística, em qualquer cargo ou função, você, leitor amigo, tem tudo a ver com essa história.

1) O Ministério da Educação apenas reconhece o curso profissional de “Técnico ou Tecnólogo em Logística”, e se você fez esse curso, você é um profissional de Logística.

2) No nível de curso superior, não existe no MEC curso regulamentado para formação profissional específica para Logística. Lá você encontra cursos de Pós-Graduação, Mestrado e Doutorado. Por exemplo, se você é formado em Administração de Empresas, com MBA em Logística e exerce o cargo de “Gerente de Logística”, sua profissão continua sendo “Administrador de Empresas”.

3) No âmbito do Ministério do Trabalho, existe o CBO – Classificação Brasileira de Ocupação (veja clicando aqui), onde encontramos apenas um código de registro de “Engenheiro de Logística” sem especificar formação acadêmica.

4) Assim, veja qual é seu status: Profissão ou Cargo/Função?

Em qualquer caso, uma certeza: Não se chega ao topo como Diretor ou VP de Logística sem estudar, estudar e estudar!!

Infelizmente, tendo a internet como janela aberta a tudo e a todos, rotineiramente acompanho postagens usando “Logística” como palavra chave, com muitos erros conceituais que mostra a falta de estudos e fundamentos de mercado. Vejo também até alguns professores nem tanto preocupados com a transmissão de conhecimento correto. Algumas vezes fiz alerta sobre o tema “Multiplicando Conhecimento” visando a prática de escrever e falar para o ensinamento correto para quem lê e para quem escuta.

Diante desse texto com viés crítico, o leitor pode perguntar: E você, o que fez para o desenvolvimento dos profissional atuantes em atividade do universo da Logística? Respondo:

No ambiente da VANTINE CONSULTING, nossa história de 35 anos, está contada em www.vantine.com.br, mas prefiro registrar meu lado idealista, aquele que faz sem esperar nada em troca, apenas satisfação do objetivo alcançado. Volto no tempo, 1988 num mega evento chamado LOGISTECH BRASIL´98 (parceria da VANTINE com a IMC Internacional do amigo Iassuo Imai – in memorian), no hotel Transamérica em São Paulo, com 60 palestras em 5 salas simultâneas e mais de 300 participantes, aproveitei e convidei alguns colegas já atuando em atividades da Logística para reunião. Lancei a semente da Associação Brasileira de Logística.

Durante longos meses esse grupo se reuniu sob minha coordenação até que no dia 06/06/1989 em Assembleia que presidi, a ASLOG foi fundada (veja clicando aqui). Neste link você pode ouvir os discursos, conhecer os membros do grupo inicial e a cerimônia de fundação.

A ASLOG – Associação Brasileira de Logística tinha como pilar em seu Estatuto: Ser a entidade para profissionais com meta de criar “cursos regulares no MEC” em dois níveis: TÉCNICO e ACADÊMICO.

Como toda entidade sem fins lucrativos, foram se sucedendo presidentes, diretores e conselheiros até que no final do ano 2011, a ASLOG sucumbiu e virou ABRALOG (esse fato fica para uma próxima oportunidade). E o sonho da formação do profissional não foi concretizado ainda.

José Geraldo Vantine José Geraldo Vantine

Fundador e presidente da Vantine Logistics & Supply Chain Consulting, tem histórico comprovado no setor de logística e cadeia de suprimentos. Possui habilidades em negociação, planejamento de negócios, gestão de operações, otimização da cadeia de suprimentos e planejamento de demanda. É considerado um dos pioneiros da logística no Brasil.

webinar
webinar
Retrak
savoy
Praxio
Farma
postal