Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube
Tendências 29 de abril de 2020

Crescem as aplicações dos drones na logística, inclusive para entregas ao consumidor, mesmo em áreas de risco

Em tempos de Covid-19, já se cogita usar drones para fazer entregas sem que haja contato entre entregador e cliente. Mas, segundo Ricardo Feriozzi Bacci, Head de Soluções para Segurança Eletrônica do Grupo GR, especializado no setor de segurança privada e terceirização de serviços, existem várias outras aplicações dos drones na logística, embora algumas ainda esbarrem nas restrições legais e de tecnologia. “As aplicações mais comuns estão ligadas a entregas, inspeção de instalações e operações, inventário e proteção de instalações logísticas.”

E, neste momento em especial, Bacci diz que entregas ao consumidor – incluindo áreas de risco –, escolta de caminhões e inventário são operações que podem ser substituídas pelo uso dos drones.

“A área mais promissora é o delivery. Na China já existem empresas realizando entregas diárias com drones em algumas regiões autorizadas pelo governo. A Amazon, com o projeto Drone Prime Air, tem realizado grandes investimentos para que esta realidade esteja cada vez mais próxima. É importante ressaltar que em algumas iniciativas testadas, os produtos entregues por drones não vão até a residência da pessoa, mas sim a um ponto específico, no qual ela terá que retirar a mercadoria.”

Ainda segundo Bacci, o Brasil possui restrições legais neste sentido, mas ele acredita que a legislação acompanhará as transformações no mundo, sem a perda da segurança no voo. “Já existem leis que regulam o uso dos drones. A ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil, o DECEA – Departamento de Controle do Espaço Aéreo, a ANATEL – Agência Nacional de Telecomunições e a Receita Federal possuem normas relacionadas aos drones, sendo um total de 11 legislações distintas”, diz.

 

Futuro

E por falar em futuro, o Head de Soluções para Segurança Eletrônica de Grupo GR lembra que o dos drones está nas novas aplicações direcionadas para inspecionar qualquer tipo de infraestrutura, desde navios e aeronaves até plataformas e instalações industriais, de forma automatizada.

E, especificamente para atuar no segmento logístico, hoje e no futuro, são várias as tecnologias embarcadas nos drones: GPS, câmeras de alta definição, câmeras térmicas e com super zoom. E, mais recentemente, a aplicação de inteligência artificial baseada em machine learning aplicada sobre as imagens coletadas.

Especificamente com relação à aplicação dos drones na segurança e no controle de estoques, Bacci diz que, neste quesito são mapeadas as aplicações de safety e de security.

“No safety acompanhamos as operações de riscos, de atendimento de emergência, inspeção de telhados de armazéns, rondas em áreas sensíveis a incêndio com câmeras térmicas e inspeção de aquecimento de sistema de energia (transformadores e cabines primárias).”

Já no security, são realizadas rondas de perímetro, integração para atendimento de alarmes e acompanhamento de cargas.

“Para o controle de estoque, nossos drones são equipados com leitores de QR Code, código de barras, RFID e leitores volumétricos que voam sob condições controladas dentro de galpões e armazéns. Eles registram todos os dados do ambiente, além do que constam nas prateleiras e paletes. Os softwares de big data realizam a catalogação dessas informações e entregam relatórios gerenciais, alertas, dash boards e todo tipo de dados estruturados para análise”, finaliza Bacci.

Newsletter
Cadastre-se aqui

Top do Transporte
Top do Transporte
Fronius Patrocinador
Top do Transporte
Top do Transporte
Toyota
Retrak
Savoy
JLL
JLL