Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Tendências 10 de novembro de 2021

Dark Store adquire importância para o desenvolvimento logístico do e-commerce

O ano de 2020 trouxe uma transformação na forma de consumir do brasileiro. O e-commerce teve um crescimento acentuado no ano passado e aparentemente essa modalidade, como forma constante de consumo, é uma tendência que veio para ficar. Apenas no primeiro semestre de 2021, de acordo com o site E-Commerce Brasil, o comércio eletrônico atingiu cerca de R$ 53 bilhões em vendas e segundo um relatório elaborado pela Ebit|Nielsen, um dos principais motivos deste crescimento é o aumento no ticket médio de compras, que atingiu R$ 534,00 no período, um aumento de 22%, quando comparado ao mesmo momento do ano anterior.

Esse crescimento, tanto de compradores, quanto no ticket médio das compras, mostra que o consumidor brasileiro está cada vez mais confortável e confiante em adquirir produtos online. Porém, isso faz com que os clientes finais estejam cada vez mais atentos e exigentes quanto ao tempo de entrega, frete e rastreio do pedido.

Todo esse contexto fez com que as empresas de transporte que atuam com o segmento acelerassem o seu desenvolvimento e encontrassem maneiras de melhor atender os clientes, apesar do constante aumento das entregas. E um dos principais mecanismos tem sido as Dark Store – lugares exclusivos para o armazenamento, separação e envio de produtos comercializados via e-commerce.

Segundo Guilherme Juliani, CEO do Grupo MOVE3, conglomerado de empresas que inclui as franqueadoras Flash Courier e Moove+, especializadas em serviços postais corporativos, de instituições financeiras e nas entregas de produtos para o consumidor final, ao contrário dos Centros de Distribuição tradicionais, que estão localizados em zonas mais distantes, a Dark Store fica situada mais próxima aos centros urbanos, facilitando suas entregas. A finalidade dos dois difere nesse sentido, já que os CDs precisam ser utilizados para atender áreas afastadas dos centros. “O Brasil é um país muito extenso, não podemos falar de Dark Stores em centros urbanos e esquecer das regiões periféricas e interioranas. Acredito que operando juntos, os CDs e Dark Stores podem melhorar muito as entregas dos comércios, e chegar em mais lugares com rapidez. Não vejo competitividade entre os dois nesse sentido, pois a utilização das Dark Stores não necessariamente esvazia os CDs.”

Ainda de acordo com Juliani, “as Dark Store nada mais são do que levarmos os produtos dos nossos clientes o mais próximo que conseguirmos dos destinatários, antes mesmo da compra ser efetuada. Com isso, nós recebemos os produtos dos clientes no nosso CD em São Bernardo do Campo, SP, espalhamos para nossas filiais, para que quando chegue o pedido do cliente, o produto não precise passar por São Paulo, e já esteja em uma Dark Store mais próxima do seu destino”.

Outros benefícios encontrados na modalidade são: redução dos custos de transporte, diminuição dos impactos ambientais e emissões de carbono associadas à entrega, facilidade para a expansão do click-and-collect, pelo qual o cliente compra e vai até a Dark Store retirar, sem custos adicionais e, principalmente, a minimização dos gargalos logísticos brasileiros.

O CEO lembra que o conceito permite antecipar esses gargalos e resolvê-los quando os clientes ainda não fizeram a compra, com isso um cliente da Bahia, por exemplo, pode ter sua encomenda entregue no mesmo dia da compra, graças à Dark Store.

 

Características

Para uma Dark Store funcionar, conta Juliani, “o ponto-chave é termos uma otimização de estoque. Os clientes que optam por esse serviço procuram uma estrutura que faça jus à agilidade que oferecemos. Uma boa estrutura passa por um ótimo sistema WMS, que permite organizar o estoque de forma otimizada e compartilhar com os clientes a quantidade atualizada de produtos que temos. Precisamos também de uma equipe ágil e bem qualificada para lidar com todas as etapas – separação, picking e packing – de forma rápida. E por último, pensar em aproveitar ao máximo seu espaço físico, com acessibilidade aos transportadores que chegam para retirar os produtos e aos fornecedores que trazem o material.

Já que agilidade é o principal diferencial que este tipo de negócio oferece, quando esse serviço é vendido, se os transportadores se deparam com uma liberação de mercadorias atrasada, por exemplo, isso impacta no tempo final das encomendas, o que não pode acontecer.

Se algum dos pontos comentados não estiver bem alinhado, será preciso lidar com erros no fluxo das entregas, que acabam reduzindo a efetividade da sua Dark Store.

Com falta de organização ou um sistema de integração confuso, se pode ter casos de furo no estoque, com atraso na localização e retirada das encomendas. São erros que prejudicam o seu fluxo, atrasando as entregas aos clientes finais.

“Organizar o estoque da forma mais certa para o seu negócio é um ponto essencial para contarmos com a agilidade dos operadores. Existe o sistema FIFO por exemplo, onde os primeiros itens que devem sair são os primeiros a entrar no estoque, e o sistema que sinaliza produtos próximos ao vencimento para saírem do estoque antes, assim não perdemos mercadoria. Tudo isso precisa ser muito bem planejado para termos uma Dark Store operando de forma eficiente.”

O CEO do Grupo MOVE3 lembra que não existe uma fórmula secreta ou um talento especial para gerir uma Dark Store, tudo o que é preciso se pode conseguir com bons profissionais, um planejamento prévio e um ótimo sistema de integração.

Uma dica fundamental para quem quer começar a utilizar essa modalidade é escolher muito bem o local. Ter o conhecimento de locais estratégicos e de como se posicionar bem dentro da cidade é essencial para operar de forma eficiente. O próprio espaço físico da Dark Store e como você o administra vai influenciar no resultado final do seu produto.

Os gestores precisam pensar no galpão de forma que armazenagem, separação, picking e packing de produtos sejam otimizados, precisam pensar em um espaço para receber o material dos fornecedores e para a liberação dos produtos para as transportadoras. Isso é o que garante a velocidade da sua operação.

Juliani completa dizendo que estão percebendo que a tendência é que esse modelo cresça cada vez mais, inclusive nos pequenos negócios. A pandemia deixou muitas empresas no vermelho, e agora muitas precisam encontrar soluções mais rentáveis para recuperar o que perderam.

“O e-commerce é um setor que não para de crescer, e mesmo após esse período, os consumidores ainda acham mais cômodo realizar compras on-line. Temos aqui um mercado que só tende a crescer, e as empresas que quiserem inovar precisarão se adaptar a ele. Empresas de diferentes segmentos estão começando a investir em Dark Stores e em outras soluções inovadoras. Então será um período com serviços cada vez mais competitivos para o mercado.”

Atualmente, o Grupo MOVE3 está com quatro filiais/Dark Store em operação na Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná, e mais cinco sendo instaladas e com a regularização em andamento na Amazônia, em Minas Gerais, no Ceará e Rio Grande do Sul. “Esperamos, ainda nos próximos meses, abrirmos filiais em Brasília, Santa Catarina e várias outras cidades. Sempre com esse modelo de armazenagem e levando nossas certificações ANVISA, para também fazermos o estoque e a distribuição de medicamentos”, finaliza o CEO.

webinar
webinar
alperseguros
fronius
Retrak
savoy
postal