Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Capa 10 de novembro de 2021

Embarcador farmacêutico: Desafio de atender ao mercado na Eurofarma é vencido com diversas atividades

Em sua operação de distribuição de produto acabado, a Eurofarma – que trabalha com medicamentos de Prescrição Médica, Genéricos, OTC, Hospitalares, Oncológicos e Veterinários, oferecendo, somente no Brasil, mais de 430 produtos em mais de mil SKUs, atendendo todas as especialidades médicas e cobrindo mais de 200 classes terapêuticas, que representam 80% do mercado total – se utiliza de transportadoras terceirizadas.

“Consideramos esse modelo a melhor opção devido ao perfil de nossos produtos. No atendimento ao mercado nacional, 90% dos pedidos feitos são inferiores a 200 kg, o que enquadra nossa operação no perfil fracionado”, explica Marcelo Torres, diretor de Supply Chain.

Para esta realidade, a especialização das transportadoras parceiras em regiões específicas é uma forte aliada para garantir o melhor nível de serviço aos clientes, pois possuem uma boa estrutura e garantem capilaridade de atendimento em todas as cidades da região em que atuam.

“Atualmente, operamos com os seguintes parceiros: Ativa (Sudeste), Mira (Centro-Oeste e Norte), Braspress (Nordeste) e Translovato (Sul) para produtos carga seca. Já para medicamentos perecíveis e/ou urgentes das linhas Hospitalar e Oncologia, operamos com a Transmodel no modal rodo expresso para as regiões Sul e Sudeste e no modal aéreo para Centro Oeste, Norte e Nordeste”, diz, agora, Pedro de Almeida, gestor de logística da farmacêutica.

A empresa também possui uma frota de veículos próprios que transportam produtos entre os blocos do Complexo Itapevi, SP, uma planta de 300.000 m², abrangendo fábrica e Centro de Distribuição, e, também, fazendo coletas de insumos em fornecedores localizados em um raio de até 150 km.

“A sustentabilidade e preocupação com o meio ambiente está no DNA da Eurofarma. Devido a isso, estamos com dois estudos em andamento, avaliando a substituição da frota própria de caminhões por veículos elétricos e também fomentando que as transportadoras invistam em veículos a gás para realizar a operação de transferência de produtos da operação de Itapevi, SP, para o CD de Varginha, MG”, comentam os também gestores de logística Paulo Araujo e Michael Leone.

Eles também enfatizam que a empresa está diminuindo a frota de veículos a combustão de seus executivos para veículos híbridos, reduzindo a emissão de poluentes responsáveis pelo efeito estufa. Até 2023, serão mais de 150 veículos híbridos na frota. Outra iniciativa inédita no setor é ter sido a primeira farmacêutica a neutralizar 100% das emissões diretas de CO2. A ação ainda beneficia dois projetos – Florestas de Lábrea e o Redd – de proteção da Amazônia, preservação da biodiversidade e apoio ao desenvolvimento social, por meio da aquisição de créditos de carbono.

Em todas as ações logísticas da Eurofarma são expedidos aproximadamente 42 veículos por dia nas operações de distribuição e transferência entre plantas. As transferências têm trajeto fixo, sendo expedidos produtos acabados das operações de Itapevi e Freguesia do Ó, São Paulo, Capital, para o CD de Varginha. Já as cargas de distribuição variam de acordo com o que entra de pedido no dia sem rota prévia ou dia fixo de expedição por região.

“Além do rodoviário, utilizamos o rodo expresso, ou seja, um transporte rodoviário que tem estrutura operacional para rodar sem parar e entregar para Sudeste e Sul em um prazo de 24 horas. Também utilizamos o frete aéreo para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Ambos os modais são usados para o transporte de medicamentos hospitalares e oncológicos perecíveis, com temperatura controlada de 2°C a 8°C ou de 15°C a 25°C”, completa agora outro gestor logístico da Eurofarma, Alberto Schoen.

Ainda em termos de infraestrutura, a empresa conta, atualmente, com três Centros de Distribuição: Itapevi, SP, com 12.300 m² e 14 mil posições-paletes; Varginha, MG, com 23.800 m² e 31 mil posições-paletes; e Ribeirão Preto, SP, anexo à planta de Soluções Parenterais de Grande Volume (SPGV).

Desafios – Mesmo com toda esta estrutura, os maiores desafios da Eurofarma são manter a produtividade das operações de armazenagem, separação e expedição, de forma a atender o mercado no menor tempo e com o melhor custo possível, ainda mais quando se tratam de produtos oncológicos e/ou hospitalares, que são muito aguardados para salvar vidas em algum lugar do país.

“Os desafios de produtividade estão sendo resolvidos com automatização, inteligência artificial e um olhar mais amplo sobre a indústria 4.0. Apostamos muito que a tecnologia, aliada à vontade dos nossos times em fazer as coisas acontecerem, constituem uma receita infalível para transpor os desafios e adversidades.”

Por sua vez, ainda segundo Torres, o desafio de atender ao mercado no menor tempo e com o melhor custo possível é enfrentado com atividades que se iniciam na integração entre suprimentos, transportes e qualidade, para garantir os melhores preços do mercado que atendam às necessidades operacionais dos clientes por meio de um transporte eficiente, sem abrir mão da qualidade exigida pelo setor farmacêutico.

Após homologadas por Suprimentos e Qualidade, o time da Eurofarma faz um trabalho diário para garantir que todas as entregas sejam realizadas dentro das expectativas dos clientes, solucionando qualquer tipo de ocorrência no ato por meio da CAGE – Central de Atendimento e Gestão de Entregas. “Acreditamos que um bom relacionamento aproxima a Eurofarma de seus clientes e queremos ser referência em agilidade na entrega, qualidade e organização nos serviços de pós-venda, pois essa é a essência e a missão de nossa área”, salienta, agora, Almeida.

A farmacêutica também conta com o MOVEE – Movimento de Excelência em Entregas, um programa de avaliação das transportadoras fundamentado em cinco pilares: on time na entrega, nível de devolução, quantidade de no show, qualidade na filial e qualidade na coleta. Nesse programa são realizadas medições mensais que servem de base para as reuniões de performance onde são tratados os pontos a manter e os pontos a melhorar. “Nessas reuniões também são construídos planos de ação a quatro mãos com as transportadoras parceiras para resolver os pontos de melhoria”, diz Araujo.

Ao final do ciclo anual, a transportadora que obtiver o melhor resultado é premiada com um troféu de campeã do programa no período. “Acreditamos que isso engaja a todos a obter os melhores resultados, gera empatia pelos clientes e tangibiliza valores como excelência e qualidade”, continua o gestor de logística.

Com todas estas ações, Leone alinhava o grande diferencial da empresa: agilidade na expedição do produto e na entrega. “Temos como premissa que o pedido que entrou no dia, saí no mesmo dia, e nossos parceiros compreendem a relevância de nossos produtos para a sociedade, trabalhando com essa mesma mentalidade.”

A Eurofarma busca entender o que os seus clientes precisam para ajustar a sua operação de acordo com as necessidades daqueles. “Podemos resumir que nosso principal diferencial, além de agilidade no faturamento e na entrega, é o foco nas necessidades e expectativas do cliente. O propósito da nossa empresa é tornar a saúde acessível para que todos possam viver mais e melhor e levamos isso a todas as áreas e ações”, diz Schoen.

Adequação ao mercado – Em termos de logística para se adequar ao mercado, a farmacêutica fez uma grande reestruturação, tanto na parte de transportes, quanto de expedição.

Foram revisitados todos os prazos de entregas e estabelecidas diretrizes operacionais para padronizar as operações no modelo ideal para a Eurofarma, modelo desenhado a partir das necessidades de seus clientes. “Em seguida, realizamos um BID onde foi fechado contrato de dois anos com as transportadoras vencedoras, além de investimentos em uma ferramenta que nos trouxe a visibilidade das entregas realizadas em tempo real para poder tratar e reverter possíveis atrasos”, diz o diretor de Supply Chain.

Com relação à operação logística, também foi remodelado o processo. A primeira grande mudança foi internalizar a operação com colaboradores próprios. A partir disso, foram readequados processos nos Centros de Distribuição, o que possibilitou à empresa separar e expedir todos os pedidos que entram no mesmo dia.

Para gerenciar todas estas operações, a Eurofarma usa, além do SAP, as seguintes tecnologias:

  • Barcode: Utilizado para automatizar a expedição nos almoxarifados dos blocos produtivos e o recebimento nos CDs, por meio de câmeras que fazem a leitura de códigos de barras dos paletes, registrando saídas e entradas de forma automática e confiável, garantindo integridade dos dados.
  • Hunter: Utilizado nos CDs para automatizar o processo de inventário cíclico por meio de câmeras e tablets instalados nas empilhadeiras.
  • Gestor de pátio: Utilizado para controlar o fluxo de veículos de recebimento/carregamento, garantido máxima produtividade das descargas/carregamentos nas docas e menor tempo de permanência dos veículos na planta, por meio de agendamento em plataforma on-line.
  • Confirma Fácil: Utilizado nas operações de distribuição em âmbito nacional, o sistema permite que a transportadora registre a entrega no ato, fazendo upload da foto do comprovante de entrega, garantindo agilidade no fluxo de informação e trazendo confiabilidade dos dados por meio de validação de comprovantes de entrega feita por uma equipe externa.

Pandemia – Com a pandemia a Eurofarma teve que reinventar boa parte da cadeia operacional devido aos desafios impostos. Além do impacto logístico internacional, já que grande parte de seus princípios ativos são provenientes de China e Índia, a pandemia trouxe um impacto importante para o setor de entregas aéreas nacionais, pois com a queda de voos comerciais, houve também uma brusca queda na disponibilidade nos porões das aeronaves para voo de cargas, algo jamais vivenciado desde o começo das operações da farmacêutica com perecíveis.

Afinal, o transporte destes medicamentos exige uma grande cautela, pois os produtos são transportados em caixas de isopor com gelo, a fim de garantir estabilidade da temperatura dentro de um prazo de 48 horas. A partir desse prazo, a caixa precisa passar por um processo chamado “reciclagem”, no qual é retirado o gelo que está perdendo a estabilidade e, em seu lugar, é colocado outro gelo que terá mais 48 horas de durabilidade a partir da caixa lacrada novamente.

Com o fluxo de voos normalizados, são raros os casos em que a caixa precisa passar por esse processo, pois sempre são entregues dentro de 48 horas. Porém, com a escassez de voos seria praticamente impossível entregar dentro de 48 horas e as transportadoras não tinham estrutura suficiente nas pontas para atender a essa operação em grande escala, já que isso nunca foi uma realidade da indústria.

Dado este cenário, a única opção oferecida pelas companhias aéreas para garantir embarque na data desejada era o fretamento de aeronaves, porém com acréscimos bastante significativos nos preços, elevando as despesas com frete aéreo e reduzindo as margens dos produtos. “E esse desafio tinha um outro ingrediente: exigia uma solução rápida, afinal, o que mais importava, é que tínhamos vidas esperando os medicamentos em algum lugar no Brasil.”

E Torres acrescenta: “Juntos, desenvolvemos o conceito de rodo expresso para as regiões Sul e Sudeste, no qual a transportadora entrega no modal rodoviário em prazo máximo de 48 horas por meio de estrutura e organização que garanta capilaridade de malha e capacidade de fazer com que o veículo rode 24 horas sem parar até o trajeto final, atendendo todas as leis trabalhistas”.

Para Norte, Nordeste e Centro-Oeste, foi implantado o projeto carga direta com veículos refrigerados. Em parceria com a área comercial, foi centralizado volume de venda em grandes distribuidores regionais e estabelecidos pedidos mínimos que permitiram roteirizar cargas itinerantes que saiam direto do CD da Eurofarma para o cliente em veículos refrigerados, que garantiam a estabilidade da temperatura do produto de ponta a ponta.

Essa segunda medida aumentou o prazo de entrega, que antes era de até 48 horas, para até 5 dias em alguns casos, mas garantiu o abastecimento do mercado com o planejamento de pedidos feitos entre a área Comercial da farmacêutica e seus clientes, garantindo também que o produto fosse transportado nas condições de temperatura ideais e um custo de frete sustentável. “O risco de desabastecimento de itens de primeira necessidade para tratamento da Covid mobilizou toda a cadeia e fomos muito bem-sucedidos no atendimento de clientes e seus pacientes.”

Com o passar do tempo, foi observado que que essas mudanças foram positivas, tanto do ponto de vista de despesas com frete, que hoje são mais baratos do que o frete aéreo, quanto do ponto de vista de custos com insumos de transportes (caixa de isopor e gelo), pois cada carga consolidada representa uma quantidade de insumos que a Eurofarma deixou de comprar. Além de reduzir o custo, a empresa deixou de produzir resíduos no meio ambiente.

webinar
webinar
alperseguros
fronius
Retrak
savoy
postal