Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube
Logística e Meio Ambiente 4 de abril de 2016

Logística e Meio Ambiente – Ed. 168

TNT Express adota entregas com bicicleta

Depois de iniciar as entregas no centro de São Paulo com bicicletas para atender ao segmento têxtil, a TNT no Brasil agora também implementa o projeto em outras unidades pelo País, por meio da sua unidade de negócios internacional, a TNT Express (Fone: 11 3622.3100). O projeto que está sendo desenvolvido em parceria com a EcoBike Courier está funcionando em caráter de teste e, já no primeiro mês, obteve ótimos resultados. Em São Paulo, SP, houve 439 entregas com 222 km pedalados e 16 kg/CO2 evitados na atmosfera. Já em Curitiba, PR, as entregas chegaram a 470 em 1.376 km pedalados, evitando, assim, 100 kg/CO2. Em Campinas, SP, os ciclistas percorreram 95,85 km em suas 30 entregas e evitaram 6,98 kg/CO2. A EcoBike Courier atua no mercado desde 2.011 com serviços de entrega expressa realizados por bikers distribuídos em pontos estratégicos de cada região, das sete cidades atendidas. Os ciclistas pedalam em média 80 km/dia e já deram seis voltas ao mundo em entregas, evitando mais de 17 toneladas de gás carbônico na atmosfera. “A EcoBike Courier é um parceiro valioso. Hoje temos muitas entregas de documentos que são realizadas por motos. Com a utilização das bicicletas, temos uma redução de gastos com combustível, de impactos ambientais, e ainda conseguimos ser mais rápidos. Identificamos que para entregas em um raio de 5 a 10 quilômetros, as entregas realizadas com a EcoBike Courier são mais rápidas, pois não sofrem os efeitos do trânsito, nem dificuldade para estacionar”, conta Murilo Silva, diretor da TNT Express.

 

Programa de logística reversa da Abrafiltros já reciclou mais de 4 milhões de filtros de óleo lubrificante usados

O Descarte Consciente da Abrafiltros – Associação Brasileira das Empresas de Filtros e seus Sistemas Automotivos e Industriais (Fone: 11 4083.8783), programa de logística reversa pós-consumo de filtros usados de óleo lubrificante automotivo, já reciclou 1.845.049,70 kg de filtros de 2012 a 2015, o equivalente a 4.730.897 unidades recicladas (média 0,39 kg). Só no ano passado, foram reciclados 735.627,09 kg de filtros, o equivalente a 1.886.224 filtros reciclados (média 0,39 kg/filtro). “Apesar das dificuldades enfrentadas pelo setor automobilístico, a Abrafiltros está comprometida com a logística reversa de filtros de óleo lubrificante usados em prol do meio ambiente. Mesmo com o elevado custo envolvido por não haver retorno direto para a cadeia de filtros, empresas do setor, com o suporte do Grupo Supply Service operando em logística, estão cumprindo com as metas do programa”, afirma João Moura, presidente da Abrafiltros. Mas, segundo ele, é fundamental que mais empresas, sejam fabricantes, importadores ou montadoras, cumpram a legislação ambiental e façam sua adesão ao programa, não só para diminuição de custos, mas também porque é de grande relevância para o meio ambiente. “A responsabilidade é compartilhada por todos os integrantes da cadeia logística, mas isto ainda é uma realidade distante para o setor”, ressalta. Hoje, 16 empresas participam do programa: Affinia Automotiva/Filtros Wix; Cummins Filtration do Brasil; Donaldson do Brasil Equipamentos Industriais; General Motors do Brasil; Hengst Indústria de Filtros; KSPG Automotive Brazil – Divisão Motor Service Brazil; Magneti Marelli Cofap Fabricadora de Peças; Mahle Metal Leve; Mann+Hummel do Brasil; Parker Hannifin Indústria e Comércio – Divisão Filtros; Poli Filtro Indústria e Comércio de Peças para Autos; Robert Bosch; Scania Latin America; Sofape Fabricante de Filtros/Tecfil; Sogefi Filtration do Brasil/Filtros Fram; e Wega Motors. Iniciado em 2012 em São Paulo, o projeto conduzido pela Abrafiltros está avançando gradativamente e se estendeu para os estados do Paraná e mais recentemente Espírito Santo. Para 2016, a previsão é de que mais de 898.400 kg sejam reciclados, o que representa 2.303.595 filtros.

 

Operação logística para a PUMA reduz emissão de poluentes em 33 toneladas com reuso de papelão

A Columbia Logística (Fone: 11 3330.6700) adotou uma solução que reduziu substancialmente a emissão de gases de efeito estufa nas operações para a PUMA, fabricante de artigos esportivos, no Centro de Distribuição de Cotia, SP. O processo consiste no reaproveitamento de caixas de papelão, que eram descartadas e agora são remodeladas e utilizadas para proteção dos produtos da PUMA. Antes desta mudança, a Columbia utilizava sacos plásticos ou bolsas de ar para preencher os espaços ociosos dentro das caixas onde os itens da marca eram acondicionados, para expedição ao comércio. O volume mensal de 425 kg de sacos plásticos utilizados nesta operação resultava na emissão de 0,43 tonelada de gás carbônico. E os 40 kg de bolsas de ar geravam mais 0,04 tonelada de CO2 mensalmente. Diante deste quadro, a Columbia estudou as possíveis soluções e decidiu adquirir um equipamento modelador de papelão, que transforma as caixas descartadas em material para proteção dos produtos da PUMA. Com isto, a Columbia deixa de utilizar, anualmente, 5.100 kg de sacos plásticos e 475 kg de bolsas de ar. Assim, a operação para a PUMA deixa de emitir um total de 33,4 toneladas de gás carbônico na atmosfera a cada ano.

Newsletter
Cadastre-se aqui

Top do Transporte
Top do Transporte
Fronius Patrocinador
Top do Transporte
Top do Transporte
Toyota
Retrak
Savoy
JLL
JLL