Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Modal Marítimo 16 de fevereiro de 2022

Portos brasileiros buscam mais eficiência por meio de desestatização

portos

Com seu leilão marcado para 25 de março, a Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) pode representar uma atualização no setor portuário do País. O projeto é pioneiro no Brasil e prevê venda da totalidade das ações da companhia, até então de titularidade da União. Com isso, são esperados novos investimentos e otimização nas atividades dos portos.

Para Alexandre Aroeira Salles, doutor em Direito e sócio fundador da banca Aroeira Salles, e Jefferson Lourenço dos Santos, advogado e especialista em contratos públicos, as concessões podem trazer benefícios para o setor, mas alguns cuidados devem ser tomados. “Importante notar que, na aludida Audiência Pública, que contou com ampla participação de diversos setores, foram levantadas duas grandes preocupações com o projeto. A primeira tratou da ausência de regras claras sobre como os contratos de arrendamento vigentes seriam transferidos ao regime de direito privado, gerando dúvidas sob o âmbito de poder da nova Concessionária para cancelar contratos em andamento. A segunda se referiu às limitações de participação no certame para as atuais arrendatárias dos portos de Vitória e Barra Riacho.”, pontuam os especialistas.

Aroeira Salles e Lourenço dos Santos também reforçam que o teórico dessas questões, independentemente das peculiaridades de cada caso, vão estar presentes nas diversas movimentações que o setor possa vir a fazer, tornando essenciais os cuidados com os processos jurídicos, com a regulação e com a fiscalização. “Todo modelo de desestatização pressupõe que o Governo fortaleça institucionalmente as respectivas agências reguladoras, para que protejam o interesse público contra abusos eventualmente praticados pelos agentes privados de mercado. No caso dos portos, será essencial que a ANTAQ (Agência Nacional de Transporte Aquaviário) seja cada vez mais aprimorada em sua governança e capacidade de bem regular e fiscalizar. Se assim for feito, há boas chances de grande sucesso o movimento da desestatização aqui tratada.”, explicam.

webinar
webinar
Retrak
savoy
postal
Expo
Agronegocio
Farma
Carbono