Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Segurança 30 de junho de 2022

Rastreamento e monitoramento: mercado exige equipamentos com recursos em tecnologia e inovação

E, para isto, Inteligência Artificial e soluções via GPS que se conectem inteligentemente aos localizadores via RF estão entre as novidades apresentadas. E até o machine learning, que ajuda a entender como as pessoas dirigem e a recuperar o veículo.

Assim como na grande maioria dos segmentos, a aplicação de tecnologias inovadoras no desenvolvimento de soluções e serviços se mostra essencial em meio a um cenário de constantes e profundas mudanças. “Com o uso de Inteligência Artificial, atualmente, os dispositivos de monitoramento apresentam características cada vez mais preditivas, possibilitando às empresas uma análise antecipada do comportamento de suas operações, o que aumenta a efetividade do controle e diminui riscos e gastos. Por meio de modernos sistemas, as informações são computadas e analisadas automaticamente, através de uma série de algoritmos e do conceito de machine learning (aprendizado de máquina), no qual os sistemas aprendem com os dados, identificam padrões e tomam decisões com o mínimo de interferência humana, determinando, por exemplo, uma ação preventiva para evitar um sinistro.”

Com esta explanação, Rodrigo Abbud, diretor Comercial do Grupo Tracker, dá início a esta matéria especial de Logweb, sobre os segmentos de monitoramento e rastreamento. Mais precisamente, aqui ele fala sobre as novidades no segmento de monitoramento.

Já Fernando Carvalho, gerente de Desenvolvimento da Caddesign Tecnologia e Inteligência Geográfica, afirma que são muitas as novidades no que diz respeito ao monitoramento. Em paralelo aos desenvolvimentos de novas ferramentas nos handhelds, os sistemas de monitoramento evoluem a cada dia. Reconhecimentos faciais e de placas, Inteligência Artificial, integrações entre APPs e ERPs, gerenciamentos completos dos pedidos, gráficos de resultados e BI´s estão entre as novidades, aponta Carvalho.

A estas novidades, Luiz Carlos dos Santos, diretor de Projetos/Sistemas da eProfessional Tecnologia da Informação, acrescenta o monitoramento de temperaturas e possíveis alarmes nos contêineres refrigerados cheios de exportação e importação. Esse monitoramento pode ser feito através de Aplicação Móvel em nuvem com controles específicos de mudança de temperatura e dos problemas.

Já Denis Teixeira, diretor Nacional da Alper Cargo/Transportes, ressalta que o crescimento dos ataques e crimes contra o transporte de cargas impulsionou o mercado para o desenvolvimento de inovações importantes e, “após o entendimento das necessidades dos clientes, temos obtido muito sucesso na utilização desses recursos, com destaque para aplicações mobile, softwares integradores, MDVR, sensores e câmeras antifadiga, sistemas inteligentes de bloqueio veicular e sensores sem fio, equipamentos para controles de temperatura, telemetria e combustível, baús blindados e eletrificados, equipamentos de redundância com protocolo de comunicação loraWAN e dispositivos antijammer.”

São diversos recursos independentes ou que se conectam ao rastreador principal, e produzem maior segurança e abastecem os operadores de monitoramento com excelentes informações para otimização e a melhor tomada de decisão, lembra Teixeira.

“Tem uma coisa que está muito latente hoje que é o machine learning, que ajuda a entender como é que as pessoas dirigem para poder precificar isso. A forma com uma pessoa dirige ajuda a dar uma nota como direção e ajuda até para recuperação do veículo, porque se você tem um costume de dirigir de maneira mais calma e tranquila, quando passa a apresentar uma forma mais agressiva ao volante, o sistema gera um alerta e é possível entender que pode ser um furto ou roubo. Então, o machine learning ajuda nessas duas coisas, tanto para o gestor ter uma forma de avaliar um condutor dele, quanto na questão de furto ou roubo pela mudança no perfil da condução”, acrescenta Delcio Custodio, Head de Vendas e Distribuição da CEABS Serviços, incluindo também o rastreamento em sua análise.

Rastreamento

Já falando exclusivamente sobre o rastreamento, Carvalho, da Caddesign, lembra que roteirização inteligente, autonomia de veículos (drones), controle de combustível, sistemas antifurto, limitadores de velocidade do veículo e cercas eletrônicas estão entre as novidades.

“A pesquisa, o desenvolvimento e a aplicação de tecnologias também são extremamente importantes para disponibilizar ao mercado as melhores e mais eficazes soluções em rastreamento. Dentre as mais novas e avançadas, destacam-se os sistemas que possuem a capacidade de operar mesmo sob ação de jammers (inibidores de sinais). Hoje, por exemplo, o Grupo Tracker possui o sistema de ativação de seu rastreador via radiofrequência (RF) no momento exato do acionamento dos inibidores por parte dos bandidos. Desta forma, o dispositivo RF do Grupo Tracker também atua como um sinalizador de que a carga está em potencial perigo.”

Ainda segundo Abbud, outros sistemas que se destacam são os que utilizam tecnologias distintas, mas, ainda assim, atuam de forma coordenada em um mesmo veículo.

Nos dias de hoje, é fundamental que as soluções via GPS se conectem inteligentemente aos localizadores via RF. Este conceito potencializa um sistema de rastreamento, aumentando e muito a eficácia na localização e recuperação de um patrimônio roubado ou furtado. “Há poucos meses, foi lançado o Tracker Log Max, um sistema composto por três dispositivos – GPS/GPRS + RF alimentado + RF autônomo – que se comunicam automaticamente, visando uma melhor entrega e maior tranquilidade ao cliente de casco ou carga”, completa o diretor Comercial do Grupo Tracker.

Funções adicionais

Interessante notar também que são várias as funções adicionais do monitoramento e do rastreamento que foram acrescentadas em função de exigências do mercado.

Afinal, como diz Carvalho, da Caddesign, com o avanço dos aparelhos celulares, as possibilidades de melhorias nos APPs de monitoramento ficam infindáveis. Hoje o monitoramento é muito mais que somente a localização de veículos. Conferencias de PIX, fotos de canhotos, assinaturas digitais, rotas visualizadas no mapa, rastros precisos, cercas eletrônicas, aviso de áreas de risco, chat corporativo, leitura de código de barra e QR Code estão entre outras exigências.

No rastreamento, muitas melhorias de segurança e comodidades ao motorista foram adicionadas, ainda segundo Carvalho: abertura de cabine, abertura de baú, ignição do veículo, alerta de emergência, temperatura do baú refrigerado, desvio de rotas, checkin e checkout do cliente, falta de combustível, problemas no veículo, controle de partida após bafômetro, rastros precisos, entre outras.

Custodio, da CEABS Serviços, lembra que o que está muito em alta no mercado hoje são os equipamentos de comunicação 4G. A área de cobertura 4G é maior e o volume de informação de dados que podem trafegar também é maior. Então, o 4G é uma tecnologia de transmissão hoje muito solicitada pelas companhias.

E Santos, da eProfessional, destaca que uma das exigências do mercado é a obtenção das informações em um menor tempo, mais próximo da realidade. Analises críticas das informações rapidamente, alertas e alarmes de problemas.

“Ao longo dos anos, outras proteções complementares foram conectadas ao processo de Gerenciamento de Riscos e, consequentemente, o monitoramento se tornou obrigatório nas apólices de seguros de transportes. “Podemos destacar recursos ostensivos com a aplicação de equipes de escolta armada e também soluções tecnológicas, tais como equipamentos secundários fixos, iscas eletrônicas que dão rastreabilidade à carga, imobilizadores eletrônicos, dentre outras.”

Na verdade, atualmente, o mercado exige equipamentos com recursos em tecnologia e inovação, que potencializem os serviços e funções de cada sistema. “Dentre estas se destaca o emprego de Inteligência Artificial (IA) para o apoio no controle e monitoramento. Fundamental nas ações preditivas e sem a intervenção humana, a IA otimiza o trabalho dos operadores, que passam a desenvolver funções cada vez mais estratégicas.”

Outra função cada vez mais solicitada – continua Abbud, do Grupo Tracker – é o sistema de rastreamento que funciona de forma proativa, capaz de reportar uma ocorrência iminente. “Todos os rastreadores RF do Grupo Tracker, por exemplo, possuem função antijammer, transmitindo sinais de radiofrequência em caso de uso de inibidores, fornecendo assim um alerta sobre um provável roubo ou furto.”

Além disso, sistemas cada vez mais inteligentes com recursos integrados em comunicação que possibilitem mais proteção e segurança também são bastante requisitados pelo mercado. Destacam-se os equipamentos e rastreadores instalados em veículos e cargas que podem se comunicar entre si, formando uma rede móvel interligada de antenas, como acontece com os dispositivos RF do Grupo Tracker, no qual cada dispositivo rastreador também exerce função de antena móvel, aumentando consideravelmente a área de cobertura de escuta e captação de sinal em situações de rastreio.

Papel das seguradoras

As seguradoras têm um papel importante no desenvolvimento de sistemas de rastreamento e monitoramento porque elas determinam as ações do mercado.

“As seguradoras fazem suas solicitações de acordo com os indicadores de furto e roubo, e nós preparamos um trabalho para que os equipamentos possam atender as exigências das companhias. Por exemplo, se em certas regiões o índice de roubo é muito alto, as seguradoras conversam com as empresas de rastreamento e pedem uma solução para esse cenário melhorar. Aí entra o nosso trabalho, enquanto empresa de rastreamento e recuperação, para entender o que pode ser feito para diminuir os índices de furto e roubo naquela região. Pode ser a implantação de uma radiofrequência nova, um modelo de atendimento, uma isca diferenciada, e assim por diante. Então sempre existe essa troca de informação entre as partes em busca de melhorias”, explica Custodio, da CEABS Serviços.

Também falando sobre a importância das seguradoras no desenvolvimento de sistemas de rastreamento e monitoramento, Teixeira, da Alper Cargo/Transportes, lembra que o modelo de negócio no seguro de transporte coloca as empresas de seguros na posição de um importantíssimo promotor e agente de recomendação dos mais diversos recursos tecnológicos disponíveis no mercado, pois esses sistemas fazem parte das condições obrigatórias dispostas nas apólices de seguros e devem ser seguidas pelos segurados com vistas a garantia do direito à indenização.

O processo de recomendação e a experiência adquirida através de sinistros ocorridos permitem a identificação de oportunidades de melhorias e tornam as companhias de seguros um dos principais agentes no auxílio ao desenvolvimento de melhorias e inovações destes produtos.

“As seguradoras atualmente exigem que as empresas adquiram rastreadores embargados no veículo, com diversas funcionalidades de segurança, como abertura de cabine, abertura de baú, ignição do veículo, alerta de emergência, desvio de rotas, entre outras. As seguradoras possuem um papel importante no desenvolvimento de sistemas de rastreamento e monitoramento por sempre exigirem melhorias de segurança aos sistemas”, acrescenta Carvalho, da Caddesign.

Sem dúvida, as seguradoras exercem papel importante no processo de inovação e evolução dos sistemas de monitoramento e rastreamento. “Como são as maiores interessadas na prevenção ao roubo e furto, bem como na posterior recuperação em caso de ocorrências, são players de grande relevância e com voz ativa na definição das tecnologias e regras que regulamentam os planos de Gerenciamento de Risco”, completa Abbud, do Grupo Tracker.

Profissionais qualificados

O tempo em que o mercado apenas requisitava pessoas capazes de operar sistemas ou que capacitava profissionais para fazê-lo ficou para trás. “Atualmente, as empresas buscam profissionais que realmente façam a diferença, com vivência e perfil muito mais analítico e estratégico, para efetuar um monitoramento mais eficaz. Por serem formados pelo próprio mercado, profissionais deste gabarito costumam ser muito disputados entre os players.”

A exposição de Abbud, do Grupo Tracker, mostra que, sim, há necessidade de profissionais qualificados para atuar na área de monitoramento e rastreamento.

“Faltam operadores qualificados e esta é uma significativa ‘dor’ identificada neste segmento, pois não há um órgão dedicado à formação destes profissionais, que normalmente aprendem a atividade de maneira prática nas empresas de Gerenciamento de Riscos, com uma responsabilidade desproporcional aos riscos monitorados. A baixa remuneração e a jornada de trabalho aos finais de semana são fatores determinantes e que traduzem a dificuldade para encontrar estes profissionais, o que se traduz em um ‘turn over’ elevado no setor.”

Todavia – prossegue Teixeira, da Alper Cargo/Transportes –, os softwares integradores de monitoramento trazem benefícios neste sentido, pois unificam diversos sistemas em uma plataforma única, automatizam os processos e dispensam a mão de obra humana para a realização de diversas tarefas, que antes eram aplicadas manualmente. “Além disso, o treinamento aplicado aos operadores é direcionado para um único sistema, o que produz ganho significativo no tempo de adaptação do profissional. Cabe destacar que o sistema não tem um nível avançado de Inteligência Artificial, o que torna o papel deste profissional fundamental no processo.”

Já para Carvalho, da Caddesign, profissionais de geografia, desenvolvimento de sistemas e logística são os perfis mais procurados. Experiência com geomarketing, geovendas, geoprocessamento são importantes. “É comum funcionários que trabalham na área de logística, distribuidoras, entregas de lixo e atacados migrarem para o desenvolvimento de ferramentas de monitoramento e rastreamento.”

Santos, da eProfessional, também aponta a necessidade de profissionais com conhecimento médio para o mundo da logística, e também o término do primeiro grau completo e básico em conhecimento em eletricidade. “Geralmente, a maior instituição formadora de profissionais com conhecimento na área de eletricidade é o SENAI. A dificuldade está na região da atuação das empresas, áreas remotas com grande dificuldade de profissionais em vários segmentos.”

webinar
webinar
Retrak
savoy
Praxio
Farma
postal