Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Cargas Especiais 10 de novembro de 2021

Transporte de Valores: Distribuição do auxílio emergencial em todo o país foi desafio para a logística

A pandemia também mostrou a necessidade de uma infraestrutura que atenda todo o país. Pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva apontou que mais de 70% da população ainda utiliza dinheiro vivo como principal meio de pagamento.

 

Como não é difícil constatar, a pandemia da Covid-19 afetou todos os segmentos da economia, não só no Brasil, como em todo o mundo. Até o de transporte de valores.

O Banco Central do Brasil apurou em 2020 recorde de circulação de papel moeda – o mesmo movimento foi observado em outros países, incluindo potências econômicas. “Com o aumento do fluxo do pagamento do auxílio emergencial, tivemos de revisitar toda a nossa operação de logística de valores para assegurar que o dinheiro em espécie fosse distribuído para as pessoas que mais necessitavam espalhadas por todo o país. Por sermos considerados uma atividade essencial, por decreto da Presidência, não paramos um minuto sequer. Todo esse aprendizado, em meio a uma pandemia, foi incorporado pela equipe em nossa operação”, comenta Rodrigo Marchini, diretor Comercial do Grupo Protege.

Na verdade, a pandemia mostrou a necessidade de uma infraestrutura que atenda o país em todos os seus extremos. Pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva apontou que mais de 70% da população ainda utiliza dinheiro vivo como principal meio de pagamento. E dados oficiais apontam que mais de 40% das cidades brasileiras não possuem agências bancárias.

“Durante a pandemia, o dinheiro em circulação foi muito maior por conta do auxílio emergencial. A distribuição destes valores em território nacional foi um desafio que mostrou a importância da capilaridade conquistada pela Prosegur. Em 2020, metade de todo o volume de auxílio emergencial pago passou pela transportadora”, comenta Sérgio França, diretor comercial e de estratégia da Prosegur Cash, unidade de negócio responsável pelos serviços de Logística de Valores do Grupo Prosegur.

Ele também diz que a empresa precisou se estruturar para atender à demanda do auxílio emergencial, o que exigiu uma operação complexa que utilizou outros modais, como aviões, hidroaviões e até mesmo embarcações para fazer o dinheiro chegar aos pontos mais extremos do país. “Neste processo, a empresa se diferenciou por ser a única presente em todos os Estados da Federação, alcançando 80% do território brasileiro. Nossa equipe foi essencial nesse período, e com muito planejamento conseguimos atender toda demanda gerada pelos bancos para levar à população o dinheiro do auxílio. Como o meio circulante aumentou no período da pandemia, acreditamos que por hora a demanda deve estabilizar e voltar ao normal.”

Pelo seu lado, Marcelo Caio Bartolini D’Arco, CEO da Brink’s no Brasil, destaca que, no início da pandemia, os seus clientes foram menos afetados por serem, principalmente, instituições financeiras e do varejo essencial, onde houve maior circulação de dinheiro.

“Restabelecemos nossas prioridades e o primeiro ponto foi garantir a segurança e saúde dos nossos funcionários. Adequamos cada uma das áreas às restrições determinadas pelos órgãos responsáveis. Por outro lado, realizamos um serviço essencial e precisamos garantir que isso não parasse e novos produtos foram desenvolvidos e lançados, como o Brink´s Pay, uma solução que conecta os dois extremos do mundo moderno: o dinheiro físico e o digital”, acrescenta D’Arco.

 

Mais do que dinheiro

Num país continental como o Brasil, e com alto índice de sinistralidade, a principal característica do segmento de transporte de valores é chegar com segurança aos mais distantes municípios, onde a população ainda depende do dinheiro vivo – algumas cidades nem possuem agências bancárias. “Nossa frota é dotada de mais de 1700 carros-fortes, que estão distribuídos em mais de 100 filiais no Brasil. Desta forma, conseguimos chegar a 4.456 municípios brasileiros. Nossa estratégia é embarcar diversos sistemas de segurança nos carros-fortes e investir no processo de inteligência com monitoramento e rastreabilidade ao longo da viagem, além de ampliar o treinamento da equipe embarcada”, aponta França, da Prosegur Cash.

No processo logístico – continua o diretor comercial e de estratégia – o transporte dos valores e a gestão de numerário se complementam e com isso conseguem oferecer uma solução completa para os seus clientes. “Além disso, assumimos toda a cadeia de gestão de caixa eletrônicos, incluindo abastecimento, monitoramento e controle de saldo de cada máquina, checagem de operação, custódia das chaves e manutenção de primeiro e segundo nível. Além disso, a Prosegur conta com uma Central de Gestão de ATM.”

Também falando sobre as características da logística no segmento de transporte de valores, Marchini, do Grupo Protege, apregoa que a logística de valores do Grupo consiste em uma solução completa que inclui o transporte de numerário (cédulas/moedas nacional e estrangeira), processamento através de pessoas e equipamentos especializados e custódia de valores. A solução está disponível para bancos e cooperativas, supermercados, lotéricas, postos de combustíveis, varejo ou qualquer comércio que tenha movimentação de dinheiro.

 

Tecnologia a favor

É óbvio que, pelas peculiaridades, muita tecnologia está aplicada ao setor.

D’Arco, da Brink’s, diz que a inovação permeia todas as áreas da empresa, desde a operação aos negócios, e a tecnologia usualmente está relacionada aos processos de inovação.

Na esfera dos negócios, alguns exemplos: “lançamos este ano uma plataforma on-line para clientes, o Portal 24SEVEN, onde o cliente consegue fazer toda a gestão e acompanhar o fluxo de seu dinheiro de maneira centralizada em seu celular, computador ou tablet. O Brink’s Pay atende o varejo e as Instituições Financeiras, com operações realizadas por meio de APIs, aplicativos e QR Codes. Além disso, desenvolvemos uma tecnologia de reconhecimento de depósitos por radiofrequência e blindagem com resistência a ataques por objetos de corte ou calor aplicada em nossos cofres inteligentes (Brinks Box e B-Safe)”.

Já a Prosegur Cash lançou, no final de 2020, a “Guia de Transporte de Valores Eletrônica” (GTV-e), que representou um marco para o transporte de valores no Brasil, pois digitalizou um processo complexo que, aos poucos, deixará de utilizar toneladas de papel, poupando o meio ambiente, segundo França.

Com a atualização da fiscalização, os Estados passaram a ter maior controle e celeridade na aferição das guias emitidas pelos contribuintes do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre a Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS). “Após a implantação da tecnologia já emitimos mais de 125 mil guias eletrônicas e, no prazo de um ano, deixaremos de imprimir 28,8 milhões de folhas sulfites.”

O diretor comercial e de estratégia da Prosegur Cash diz, ainda, que a empresa mantém o foco em sua cultura de “Transformação Digital”, implantando tecnologia RPA para processos repetitivos e adotando novas ferramentas que possam facilitar o dia a dia dos clientes, ampliando as possibilidades de interações de forma online, o que aumenta a produtividade, facilita o contato com os clientes e abre possibilidades de fechar novos negócios.

“Também criamos mais um modelo de cofre inteligente, o Cash Today Smart – uma opção de cofre com alta capacidade, mas que tende a ser mais econômica em função de sua contadora ser mais lenta do que a do modelo Plus. Assim como os demais cofres, a versão Smart conta com blindagem reforçada e é dotada da tecnologia mais atual existente em reconhecimento de cédulas. O equipamento, que é instalado no cliente, permite a contabilidade diária ao aferir as cédulas recebidas. A Prosegur assume o risco sobre os valores a partir do exato momento em que os numerários são identificados. Além disso, a empresa também se encarrega de fazer a coleta dos valores depositados.”

O Grupo Protege tem um olhar atento aos avanços tecnológicos e aos impactos socioambientais. Um dos projetos que tem sido muito utilizado pelos seus clientes é o aplicativo “Follow Me”. O app tem registrado mais de 700 mil acessos por mês. Disponível para IOS e Android, a ferramenta permite o agendamento de coleta de numerário e controle dos valores coletados e processados diretamente pelo celular. Quando o carro-forte está a minutos de distância do estabelecimento (lotérica, supermercado, farmácia, etc.), o cliente recebe uma notificação push no celular e pode se programar e acompanhar toda a operação.

“Em outra frente, neste ano que completamos 50 anos de história, inovamos com o lançamento do primeiro carro-forte 100% elétrico do mundo. Todo o projeto foi concebido para valorizar a sustentabilidade e ser uma alternativa para os próximos anos. O modelo foi estruturado em um chassi de carro-forte retirado de circulação, mitigando danos ambientais e incentivando o reaproveitamento de peças. Um dos principais impactos do carro-forte elétrico é o benefício para o meio ambiente. A redução média na emissão de carbono será de 1,4 toneladas de CO2 por mês”, completa Marchini.

 

Problemas e desafios

Atuar neste segmento, também parece óbvio, impõe enfrentar problemas e desafios.

O principal, segundo D’Arco, da Brink’s, é contribuir para a circulação do dinheiro no mercado e manter este serviço para a população brasileira diante de um quadro de oferta logística limitado. Ou seja, os valores só podem circular por meio de carros-fortes, boa parte por rodovias que não oferecem pavimentos de qualidade ou onde a falta de segurança impera. “Fora o transporte por rodovia, as empresas só podem utilizar aeronaves fretadas ou de carga devido à restrição por lei. A permissão de transporte de valores em aeronaves comerciais agregaria à segurança porque seria possível fracionar as cargas tornando menos atrativo para os criminosos.”

A falta de segurança, de forma geral, consiste em um grande desafio. Para fazer frente a essa situação, na área de segurança há um trabalho em conjunto das forças policiais, principalmente as de inteligência, em conjunto com as transportadoras de valores.

O resultado tem sido muito bom, comemora D’Arco. Para se ter uma ideia, em 2017 foram roubados, aproximadamente, 200 milhões de reais das transportadoras de valores. “Claro que existe o seguro, mas é também sabido que, de alguma forma, a população acaba sendo afetada no pagamento dessa ‘conta’. Em 2020, foram roubados aproximadamente 5 milhões de reais das transportadoras de valores.”

O que a Brink´s tem feito são investimentos inteligentes – ainda segundo o CEO. “Tudo foi feito com base em conhecimento adquirido de polícias específicas que sabem como combater o crime organizado. Ou seja, cada centavo investido foi com um objetivo claro de combater determinado tipo de ação criminosa. E, com certeza, o fundamental é o treinamento e a capacitação dos funcionários. De nada adiantaria investimento em reforços físicos e tecnologias sem o adequado treinamento dos funcionários. Este treinamento e qualificação são realizados através de programas específicos na Universidade Brink’s, que oferece capacitação para todos os funcionários da empresa.”

Também no caso da Prosegur Cash, os principais problemas enfrentados ainda são segurança e as longas distâncias. “O dinheiro vivo continuará tendo um papel importante ainda por décadas no Brasil. O combo de incremento da tecnologia, inteligência nos processos de monitoramento e homens treinados, além de uma rede consistente de acesso aos mais distantes grotões do país, continuarão como peças fundamentais para enfrentar estes problemas”, acentua França.

O Grupo Protege atua para minimizar os riscos e perdas de seus clientes. Para isso busca oferecer soluções completas. Por exemplo, com o fechamento parcial do tráfego aéreo durante a pandemia, uma área de atuação que se reinventou foi a de transporte de cargas de alto valor agregado. “O Carga Segura do Grupo Protege registrou um crescimento superior a 50% em receita no primeiro semestre de 2021, quando comparado ao primeiro semestre de 2020. Trata-se de uma solução em transporte com alto nível em segurança, com a maior cobertura de seguro de frete e taxa de sinistro zero desde sua criação.  Os caminhões são totalmente blindados e possuem quatro vigilantes embarcados. O serviço é destinado aos fabricantes de celulares, notebooks, televisores, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos, cosméticos, defensivos agrícolas, entre outros. Esse transporte em caminhões blindados já está incorporado como uma solução eficiente e segura pelas empresas e tende a crescer cada vez mais”, finaliza Marchini.

 

O que as empresas oferecem

Brink’s – É considerada líder global em gestão total de numerário, logística segura e soluções de pagamento, incluindo transporte de dinheiro, serviços de ATM, serviços de gerenciamento de caixa (terceirização de cofre, processamento de dinheiro e serviços de segurança inteligente) e transporte internacional de valores. A maior parte dos processos logísticos do transporte de valores é comum aos demais tipos de carga, como armazenagem, recebimento, movimentação e expedição. No transporte oferece os processos de coleta e entrega. No âmbito internacional, trabalha com o agenciamento de carga, cobertura aeroportuária, desembaraço aduaneiro, entre outros. Já na logística de numerário, há processos específicos como: o transporte rodoviário nacional em veículos blindados, a coleta e o abastecimento de numerário, o processamento e a custódia de valores.

Grupo Protege – Realiza transportes de valores, operações com caixas eletrônicos (ATMs), cofres inteligentes, processamento de numerário 100% monitorado, custódia, gestão de numerários e cheques e transportes de bens de alto valor agregado (eletrônicos, medicamentos e insumos farmacêuticos, por exemplo). No transporte de valores, todos os atendimentos são planejados e monitorados por torre de controle, a fim de garantir a melhor performance do serviço e prestar suporte às equipes em roteiro na rua.

Prosegur Cash – Suas áreas de atuação atendem, principalmente, os setores financeiro, varejista, de prestação de serviços, fármacos, tecnologia e artigos de luxo, podendo ser empresas de pequeno, médio e grande portes. Realiza o ciclo completo da logística de valores, considerando a origem e o destino no transporte do numerário com frota própria, bem como a classificação e o processamento de dinheiro com a mais avançada tecnologia. O serviço de custódia consiste na guarda e gestão de valores para as principais instituições financeiras. A gestão de troco também é uma facilidade oferecida na solução de logística de valores para os clientes Prosegur, considerando a sazonalidade, o perfil do comércio e os períodos críticos. Os valores são planejados, preparados e entregues em cada estabelecimento, de acordo com a necessidade do cliente.

webinar
webinar
alperseguros
fronius
Retrak
savoy
postal