Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube
Modal Marítimo 9 de setembro de 2020

Volume de soja exportado pelo Paraná já supera o total de 2019

O volume de soja embarcado pelo Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá nos últimos oito meses já supera em 5,1% o total exportado no ano de 2019. De janeiro a agosto, foram quase 11,15 milhões de toneladas exportadas do grão. No ano passado inteiro, de janeiro a dezembro, foram pouco mais de 10,6 milhões de toneladas da oleaginosa embarcadas pelo complexo.

Considerando todos os graneis movimentados, o volume chegou a cerca de 14,9 milhões de toneladas de soja, farelo e milho. Faltando ainda quatro meses para o fechamento do ano, o corredor já movimentou quase 74% do volume total registrado em 2019 – 20,2 milhões de toneladas.

“A atividade portuária foi na contramão dos demais setores da economia mundial. Isso porque nós abastecemos outros países com alimentos. O Paraná é um grande produtor, considerado celeiro do mundo. Nós conseguimos abastecer o mercado interno e mandar o excedente para o mercado externo”, destaca o presidente da empresa pública Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

NEGOCIAÇÃO – Nos oito meses de 2019, o complexo paranaense exportou em torno de 13,9 milhões de toneladas de granéis sólidos – soja, farelo e milho. No mesmo período, em 2020, foram 14,9 milhões de toneladas. Aumento de 7%.

O bom momento é motivado, principalmente, pelo tempo seco, câmbio favorável e a safra recorde de soja. Em agosto, os valores de comercialização do produto atingiram R$ 135,00. O recorde para a saca é de R$ 139,00, em setembro de 2012.

A comercialização está bem adiantada no Brasil. A safra 2021 já tem quase 60 milhões de toneladas negociadas, a um preço médio de R$ 122,00 a saca. O que chama a atenção dos especialistas do setor é a antecipação da venda das próximas duas safras, com mais de 3 milhões de toneladas negociadas.

“Essa venda antecipada é inédita. Os países querem garantir o abastecimento futuro, com um temor de falta de alimentos, devido à pandemia. Além disso, a soja está com um excelente valor para o mercado chinês, o que favorece as negociações”, explica Garcia.

SOJA – A alta registrada no volume de soja exportado pelo Porto de Paranaguá, de janeiro a agosto, na comparação de 2020 e 2019, impressiona. Este ano, com as quase 11,15 milhões de toneladas, o total de soja em grão embarcado pelo corredor é 52,63% maior que as 7,3 milhões de toneladas do ano passado.

As exportações do farelo de soja nesses oito meses também estão maiores. Com quase 3,2 milhões de toneladas do produto movimentadas pelo corredor este ano, o volume está 10,3% superior que no ano passado, no período, com pouco mais de 2,9 milhões de toneladas.

O principal destino da soja em grãos é a China (91%), com outros 14 países comprando 10% do produto que sai via Paranaguá. Já o farelo de soja, 23% é enviado para Holanda, 18% para França e 13% para Coreia do Sul. O restante é destinado para outros 15 países.

MILHO – O volume de milho embarcado, aos poucos, começa a crescer, principalmente pela chegada da nova safra. Porém, na comparação do acumulado de 2020 com 2019 ainda apresenta queda. Este ano, apenas 546.334 toneladas do produto foram exportadas pelo Corredor do Porto de Paranaguá. Em 2019, de janeiro a agosto, foram mais de 3,7 milhões de toneladas do produto embarcadas.

Como explicam os operadores do complexo, a queda de mais de 85% se justifica pelo desempenho atípico do milho no mercado. Este ano, porém, a soja é que ganhou mais espaço.

Segundo o último boletim Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, aproximadamente 67% das lavouras de milho (segunda safra 19/20) já foram colhidas e 59% da produção total esperada (11,7 milhões de toneladas) já estão vendidas.

Newsletter
Cadastre-se aqui

SDO Equipamentos
Top do Transporte
Top do Transporte
Fronius Patrocinador
Top do Transporte
Top do Transporte
Toyota
Retrak
Savoy
JLL
JLL