Facebook Twitter Linkedin Instagram
Conteúdo 19 de outubro de 2017

Que venha 2018!

Finalmente os sinais de recuperação começam a surgir, ainda que timidamente, após a maior recessão da história do pais em que o governo do período fez com que 13 milhões de trabalhadores ficassem sem emprego, 100 mil lojas fossem fechadas e somente no estado de São Paulo, 4 mil empresas encerrassem suas atividades.

Tivemos ainda os escândalos da Petrobrás, JBS, BNDES, empreiteiras, e ainda dos fundos Postalis, Funcex, Previ e Petros, que foram descaradamente tungados por este mesmo governo.

Tudo isso está ficando para trás e o melhor é que a economia está se descolando da política, haja vista os recordes da bolsa de valores ocorrendo em meio a denúncias de crimes contra o presidente da república; a reforma trabalhista, muito aguardada pelo TRC, pela importância da segurança jurídica.

Todavia, o sinal mais forte vem das montadoras que estão anunciando investimentos de R$ 15 bilhões, após amargarem retração nas vendas de 30% em 2016 comparando-se a 2015, que já havia sido um ano ruim, e agora vê o emplacamento subir 70% de janeiro a setembro de 2017 ante o mesmo período de 2016.

Todos esse investimento não ocorre sem que não haja pedidos dos transportadores, que aos poucos vê o faturamento retomando, e se encorajando para reajustar os fretes a patamares suficientes para fazer frente aos custos, investimentos e logicamente ao lucro.

O transportador de cargas brasileiro não está enfrentando crise pela primeira vez, e sabe que em tempos bicudos tem que cortar os custos.

Insisto em dizer que a qualquer tempo, duas coisas devem ser observadas:

1- No TRC não existe economia de escala, o que significa que não adianta fazer transporte a qualquer custo, que o resultado da empresa não melhora, só piora.

2- Que o transportador deve administrar o seu negócio “sentado em cima do caixa“.

Sabemos que o transporte de carga faz dinheiro rápido, desde que o prazo de pagamento não seja longo, pois a cada 30 dias, vencem todas as contas.

E diante destas notícias e dos números que se mostram alentadores, vem a certeza que de agora em diante, sem dúvida, o setor viverá dias melhores!

Manoel Sousa Lima Jr. Manoel Sousa Lima Jr.

Diretor da RG LOG, ex-presidente do SETCESP – Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região.

Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Maplink Toyota
LOGCP
Retrak
Paletrans
Alphaquip
Assine a Revista Logweb
Assine a Revista Logweb
Top do Transporte