Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube
Agronegócio 24 de abril de 2019

Logística no agronegócio – Ed. 29 Digital

Rota agrícola em Ponta Grossa receberá empreendimento rodoviário inovador

Ponta Grossa, considerado o maior entroncamento rodoviário do Paraná e até mesmo da região sul, receberá um empreendimento inovador nesse setor no Brasil.

Já em construção e com previsão para inaugurar em dezembro deste ano, a Parada Vendrami será um misto de posto de combustível e centro comercial e foi pensada para atender de forma especial os caminhoneiros, mas sem deixar de proporcionar o melhor aos turistas e outros motoristas.

A nova Parada ficará localizada na BR-376 na região do Distrito Industrial, a quatro quilômetros do Parque Estadual de Vila Velha, próxima a gigantes do agronegócio como a Louis Dreyfus Company, Bunge e Cargill.

“Haverá lojas de conveniências, restaurante com mais de 1.000 m², estacionamento para 215 caminhões (ou mais de 80 bitrens), estacionamento para ônibus e para 126 carros e 20 motos, central de reparos, entre outros serviços. Além disso, o empreendimento contará com uma Central de Cargas com 20 escritórios comerciais e 80 vagas para carros a transportadoras, seguradoras, entre outras empresas que prestam serviços exclusivos aos caminhoneiros”, explica Vinicius Vendrami Malucelli, sócio no projeto junto com seu irmão Antonio Vendrami Malucelli.

Por abrigar um grande cruzamento rodoferroviário, o município de Ponta Grossa recebe uma quantidade enorme de veículos, especialmente no local onde será a Parada Vendrami. São mais de 20 mil automóveis e 16 mil caminhões transitando por ali diariamente. “Devido ao fluxo intenso, destaca-se a importância de um local com infraestrutura e atendimento  especializado em caminhões. Outro dado interessante é que 24% de toda a produção do soja, milho e farelo de soja passa  em frente à Parada Vendrami”, destaca Vinicius.

Para os empresários que pretendam investir no local, o empreendedor destaca como benefício o baixo custo da operação. “A Parada Vendrami será administrada como um shopping, com manutenção, segurança, iluminação. Todos os empreendedores compartilham da mesma estrutura e dividem custos, podendo focar exclusivamente em suas atividades. Então será o melhor custo operacional para um empreendimento na estrada”, conclui.

 

 

Inova VLI terá desafios regulares em 2019

A VLI, empresa de soluções logísticas que integra terminais, ferrovias e portos, projeta na inovação uma forma de acelerar a modernização de processos, ganhar eficiência e seguir contribuindo para transformar a logística nacional. Este ano, já lançou o primeiro desafio para empreendedores de todo o país e edições mensais devem ocorrer a partir de agora.

O 7º Startup Day convida empreendedores que possam atuar no aprimoramento da medição e do controle de qualidade dos grãos (soja, milho e farelo) que são armazenados em unidades portuárias e terminais distribuídos pelo Brasil. O agronegócio é o principal setor atendido pela empresa. As inscrições podem ser feitas pelo www.inovavli.com.br

Esse será o primeiro de uma série de eventos criados para identificar novos parceiros e soluções no mercado. Em parceria com a Neo Ventures, aceleradora de desafios corporativos, a VLI planeja edições mensais a partir de abril.

A empresa já promoveu seis edições reunindo quase centenas de inscrições. Atualmente, 10 startups desenvolvem projetos com a VLI.

 

 

ANFAVEA e governo de SP vão incluir estradas rurais no Waze

O governo do Estado de São Paulo teve apoio da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores – ANFAVEA para colocar no mapa, dar endereço e permitir o tráfego por áreas que atualmente não estão identificadas em sistemas de navegação por satélite.

Chamado Rorais (de Rotas Rurais), o projeto criará um endereço localizável via satélite para propriedades e residências cujo acesso ocorre por caminhos não encontrados pelo Waze. “Isso facilitará o trabalho de empresas de logística para retirada e entrega de mercadorias”, aponta o presidente da ANFAVEA, Antonio Megale.

“Existem 300 mil quilômetros de estradas, a maioria de terra. Os produtores rurais e a indústria de alimentos são os que mais usam essas vias”, completa o secretário de agricultura e abastecimento, Gustavo Junqueira.

De acordo com o secretário, o Estado tem 350 mil propriedades rurais. “A formalização do endereço também é importante para o agricultor no momento da abertura de um crediário”, recorda o secretário. A ANFAVEA entrou no projeto como patrocinadora, sem, no entanto, revelar o valor destinado.

O governo do Estado busca outros apoiadores para o Rorais e não há uma data de entrega nem ponto de partida para o mapeamento. A ideia é fazer aos poucos. O trabalho de digitalização dos endereços e inclusão nos mapas será feito pela Sci Crop, uma startup especializada em tecnologia para o agronegócio. “Usaremos informações que estão hoje fragmentadas dentro dos municípios e órgãos públicos. Elas serão adicionadas como novas ‘camadas’ em cima das imagens da região”, afirma o CEO e cofundador da empresa, José Damico.

Patrocinadores como a ANFAVEA irão bancar o trabalho da Sci Crop e de equipes de comunicação e relações públicas necessárias para o diálogo com os municípios e acesso às informações que serão digitalizadas e incluídas nos mapas.

(Fonte: Automotive Business)

 

 

Desafios, investimentos e pesquisas são os principais temas debatidos no evento anual de Logística Agroindustrial

Realizado no dia 15 de abril último, o 16º SILA – Seminário Internacional em Logística Agroindustrial debateu temas de extrema importância para a área logística, apresentando pesquisas e dados relevantes para vencer os principais desafios do setor. O evento aconteceu na sede do Grupo ESALQ-LOG, em Piracicaba, SP, e contou com a presença de autoridades do Poder Público, profissionais e estudantes.

Entre as apresentações do Seminário, foram debatidos temas como os desafios da logística no âmbito estadual, federal e municipal, abordados pelo presidente da Dersa, Milton Persoli, pelo secretário de Transportes de Piracicaba, Jorge Akira, e pelo ex-secretário de Transportes do MT, Marcelo Monteiro, respectivamente. A discussão abordou assuntos como investimentos em infraestrutura e pesquisa, bem como a necessidade de melhorias e adequação de normas já vigentes.

O evento contou ainda com as palestras de representantes dos operadores logísticos, como o diretor executivo da Grão-Pará Multimodal, Paulo Salvador, o responsável pelo Relacionamento Institucional da VLI, José Osvaldo Cruz, e o conselheiro da Abol – Associação Brasileira de Operadores Logísticos, Paulo Roberto Guedes, que abordaram o desenvolvimento das ações portuárias e ferroviárias, além das contribuições dos operadores. Os pesquisadores do ESALQ-LOG, Abner Matheus João e Fernando Rocha, também marcaram presença no evento, debatendo as vantagens da escolha pela armazenagem e a questão da implementação da Ferrogrão. Em seguida, os alunos da Fatec Baixada Santista apresentaram uma análise de risco a respeito dos procedimentos portuários, com foco no Porto de Santos.

As apresentações finais do evento ficaram por conta do economista chefe da ABIOVE – Abiove Associação Brasileira Indústrias Óleos Vegetais, Daniel Furlan Amaral, que abordou as necessidades dos usuários de transporte, e do assessor técnico da NTC, Antonio Lauro Neto, que falou a respeito da infraestrutura das estradas e as principais características do transporte brasileiro.

Newsletter
Cadastre-se aqui


Top do Transporte
Top do Transporte
Fronius Patrocinador
Top do Transporte
Top do Transporte
Toyota
Retrak
Savoy
JLL