Facebook Twitter Linkedin Instagram
Agronegócio 24 de abril de 2019

Logística no agronegócio – Ed. 29 Digital

Rota agrícola em Ponta Grossa receberá empreendimento rodoviário inovador

Ponta Grossa, considerado o maior entroncamento rodoviário do Paraná e até mesmo da região sul, receberá um empreendimento inovador nesse setor no Brasil.

Já em construção e com previsão para inaugurar em dezembro deste ano, a Parada Vendrami será um misto de posto de combustível e centro comercial e foi pensada para atender de forma especial os caminhoneiros, mas sem deixar de proporcionar o melhor aos turistas e outros motoristas.

A nova Parada ficará localizada na BR-376 na região do Distrito Industrial, a quatro quilômetros do Parque Estadual de Vila Velha, próxima a gigantes do agronegócio como a Louis Dreyfus Company, Bunge e Cargill.

“Haverá lojas de conveniências, restaurante com mais de 1.000 m², estacionamento para 215 caminhões (ou mais de 80 bitrens), estacionamento para ônibus e para 126 carros e 20 motos, central de reparos, entre outros serviços. Além disso, o empreendimento contará com uma Central de Cargas com 20 escritórios comerciais e 80 vagas para carros a transportadoras, seguradoras, entre outras empresas que prestam serviços exclusivos aos caminhoneiros”, explica Vinicius Vendrami Malucelli, sócio no projeto junto com seu irmão Antonio Vendrami Malucelli.

Por abrigar um grande cruzamento rodoferroviário, o município de Ponta Grossa recebe uma quantidade enorme de veículos, especialmente no local onde será a Parada Vendrami. São mais de 20 mil automóveis e 16 mil caminhões transitando por ali diariamente. “Devido ao fluxo intenso, destaca-se a importância de um local com infraestrutura e atendimento  especializado em caminhões. Outro dado interessante é que 24% de toda a produção do soja, milho e farelo de soja passa  em frente à Parada Vendrami”, destaca Vinicius.

Para os empresários que pretendam investir no local, o empreendedor destaca como benefício o baixo custo da operação. “A Parada Vendrami será administrada como um shopping, com manutenção, segurança, iluminação. Todos os empreendedores compartilham da mesma estrutura e dividem custos, podendo focar exclusivamente em suas atividades. Então será o melhor custo operacional para um empreendimento na estrada”, conclui.

 

 

Inova VLI terá desafios regulares em 2019

A VLI, empresa de soluções logísticas que integra terminais, ferrovias e portos, projeta na inovação uma forma de acelerar a modernização de processos, ganhar eficiência e seguir contribuindo para transformar a logística nacional. Este ano, já lançou o primeiro desafio para empreendedores de todo o país e edições mensais devem ocorrer a partir de agora.

O 7º Startup Day convida empreendedores que possam atuar no aprimoramento da medição e do controle de qualidade dos grãos (soja, milho e farelo) que são armazenados em unidades portuárias e terminais distribuídos pelo Brasil. O agronegócio é o principal setor atendido pela empresa. As inscrições podem ser feitas pelo www.inovavli.com.br

Esse será o primeiro de uma série de eventos criados para identificar novos parceiros e soluções no mercado. Em parceria com a Neo Ventures, aceleradora de desafios corporativos, a VLI planeja edições mensais a partir de abril.

A empresa já promoveu seis edições reunindo quase centenas de inscrições. Atualmente, 10 startups desenvolvem projetos com a VLI.

 

 

ANFAVEA e governo de SP vão incluir estradas rurais no Waze

O governo do Estado de São Paulo teve apoio da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores – ANFAVEA para colocar no mapa, dar endereço e permitir o tráfego por áreas que atualmente não estão identificadas em sistemas de navegação por satélite.

Chamado Rorais (de Rotas Rurais), o projeto criará um endereço localizável via satélite para propriedades e residências cujo acesso ocorre por caminhos não encontrados pelo Waze. “Isso facilitará o trabalho de empresas de logística para retirada e entrega de mercadorias”, aponta o presidente da ANFAVEA, Antonio Megale.

“Existem 300 mil quilômetros de estradas, a maioria de terra. Os produtores rurais e a indústria de alimentos são os que mais usam essas vias”, completa o secretário de agricultura e abastecimento, Gustavo Junqueira.

De acordo com o secretário, o Estado tem 350 mil propriedades rurais. “A formalização do endereço também é importante para o agricultor no momento da abertura de um crediário”, recorda o secretário. A ANFAVEA entrou no projeto como patrocinadora, sem, no entanto, revelar o valor destinado.

O governo do Estado busca outros apoiadores para o Rorais e não há uma data de entrega nem ponto de partida para o mapeamento. A ideia é fazer aos poucos. O trabalho de digitalização dos endereços e inclusão nos mapas será feito pela Sci Crop, uma startup especializada em tecnologia para o agronegócio. “Usaremos informações que estão hoje fragmentadas dentro dos municípios e órgãos públicos. Elas serão adicionadas como novas ‘camadas’ em cima das imagens da região”, afirma o CEO e cofundador da empresa, José Damico.

Patrocinadores como a ANFAVEA irão bancar o trabalho da Sci Crop e de equipes de comunicação e relações públicas necessárias para o diálogo com os municípios e acesso às informações que serão digitalizadas e incluídas nos mapas.

(Fonte: Automotive Business)

 

 

Desafios, investimentos e pesquisas são os principais temas debatidos no evento anual de Logística Agroindustrial

Realizado no dia 15 de abril último, o 16º SILA – Seminário Internacional em Logística Agroindustrial debateu temas de extrema importância para a área logística, apresentando pesquisas e dados relevantes para vencer os principais desafios do setor. O evento aconteceu na sede do Grupo ESALQ-LOG, em Piracicaba, SP, e contou com a presença de autoridades do Poder Público, profissionais e estudantes.

Entre as apresentações do Seminário, foram debatidos temas como os desafios da logística no âmbito estadual, federal e municipal, abordados pelo presidente da Dersa, Milton Persoli, pelo secretário de Transportes de Piracicaba, Jorge Akira, e pelo ex-secretário de Transportes do MT, Marcelo Monteiro, respectivamente. A discussão abordou assuntos como investimentos em infraestrutura e pesquisa, bem como a necessidade de melhorias e adequação de normas já vigentes.

O evento contou ainda com as palestras de representantes dos operadores logísticos, como o diretor executivo da Grão-Pará Multimodal, Paulo Salvador, o responsável pelo Relacionamento Institucional da VLI, José Osvaldo Cruz, e o conselheiro da Abol – Associação Brasileira de Operadores Logísticos, Paulo Roberto Guedes, que abordaram o desenvolvimento das ações portuárias e ferroviárias, além das contribuições dos operadores. Os pesquisadores do ESALQ-LOG, Abner Matheus João e Fernando Rocha, também marcaram presença no evento, debatendo as vantagens da escolha pela armazenagem e a questão da implementação da Ferrogrão. Em seguida, os alunos da Fatec Baixada Santista apresentaram uma análise de risco a respeito dos procedimentos portuários, com foco no Porto de Santos.

As apresentações finais do evento ficaram por conta do economista chefe da ABIOVE – Abiove Associação Brasileira Indústrias Óleos Vegetais, Daniel Furlan Amaral, que abordou as necessidades dos usuários de transporte, e do assessor técnico da NTC, Antonio Lauro Neto, que falou a respeito da infraestrutura das estradas e as principais características do transporte brasileiro.

Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Brasil Log
Brasil Log
Brasil Log
Business Park Translifit Retrak w6connect