Facebook Twitter Linkedin Instagram
Tecnologia 22 de março de 2019

Plataforma digital inovadora da D2P reduz custos e otimiza processos de Comércio Exterior

Fundada em julho de 2016, a startup D2P investiu R$ 1,2 milhão e pretende faturar R$ 4 milhões em 2019. Foi criada com a ideia inovadora de utilizar tecnologia para identificar oportunidades de melhoria de produtividade e redução de custos nas operações de comércio exterior das empresas, com ênfase na área de importação. “Desenvolvemos a plataforma para focar neste segmento e oferecer também, quando houver interesse da contratante, uma consultoria de gestão similar. A equipe da D2P é formada por “experts” em gestão de comércio exterior e temos gerado resultados surpreendentes para companhias de grande importância no mercado”, comenta o sócio da D2P, Paul Erik Schabbel.

O processo é simples, dinâmico e inicia com um diagnóstico logístico completo. Essa avaliação permite um mapeamento total da cadeia de suprimentos da empresa e tem como objetivo identificar pontos prováveis de otimização, que assegura eficiência na gestão e economia. “A redução do custo logístico é variável de acordo com o negócio. Porém tem impacto direto sobre o “bottom line” da empresa, influenciando o resultado como um todo, além de proporcionar a oportunidade de aumentar lucros ou minimizar prejuízos”, ressalta Schabbel.

O grande diferencial da ferramenta é a autonomia oferecida às empresas contratantes. De forma automática, o software da D2P gera alguns dos principais relatórios, para que sejam encontradas melhorias viáveis nos processos de Comex. Ou seja, a empresa tem autonomia para avaliar e otimizar a sua própria operação. “Para auxiliar nestes procedimentos, criamos novos serviços. Um deles é o D2P Statistics, que produz KPIs – estatísticas e indicadores de performance sempre atualizados e os apresenta de forma organizada e intuitiva. Já o D2P Demurrage oferece informações para um controle preciso de contêineres, reduzindo e até evitando os custos extras de sobrestadia”, alerta o sócio.

Benefícios gerados

• Ao utilizar os serviços D2P, as empresas ganham em eficiência e tomam decisões melhores na hora da compra. Na medida em que este comércio se torna mais competitivo, podem aumentar o volume de negócios.

• Através da plataforma, o importador consegue ter mais visão de todos os seus processos de forma rápida e automática.

• No caso do D2P Consulting, é proposto um modelo baseado em success fee, ou seja, só há cobrança quando a economia é, de fato, comprovada. O projeto, normalmente, tem duração de dois anos. Mas ao final, a empresa tem a possibilidade de assinar a utilização da ferramenta e ter todo o conteúdo gerado.

Números do comércio exterior – Atualmente, de acordo com o MDIC – Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio – o Brasil movimenta em média US$ 420,70 bilhões em compras internacionais, sendo US$ 181,2 bilhões em importações e US$ 239,52 bilhões em exportações. “Essas compras alimentam uma cadeia enorme de prestadores de serviços, que envolve agentes de carga, despachantes, transportadoras, terminais, portos, aeroportos, seguradoras, agências fiscalizadoras e governo”, acrescenta Paul.

Diante deste cenário, a D2P optou por focar em importação, uma vez que sua cadeia de custos e responsabilidades é mais longa e relevante do que a de exportação. Na maioria das compras de importados, cabe ao empresário definir como e com quem irá trabalhar. Acompanhar esses custos e prazos torna-se um grande desafio das companhias, porque no seu dia a dia, não possuem as ferramentas adequadas para realizar estes controles de maneira sistemática e rotineira. A extração destes dados é lenta, complexa e, muitas vezes, não confiável. “Há diversos interlocutores, várias fontes de informação e dificuldade na obtenção de custos e prazos”, explica Paul.

O setor de logística em comércio exterior se destaca pelo uso intenso de plataformas tecnológicas, como o SISCOMEX (Sistema Integrado de Comércio Exterior – criado em 1997 pelo Governo Federal), que tem ênfase arrecadatória. Até então não existiam no mercado ERPS elaborados, especificamente, para os clientes finais com essa finalidade. Sem dizer que etapas de importação no Brasil são difíceis de entender e de rastrear. Muitas vezes chegam a ser quase uma “caixa preta” para empresas que não são especializadas neste assunto. Estas dificuldades fizeram com que a consultoria D2P ampliasse seu negócio. “Evoluímos a ferramenta e a convertemos numa plataforma online SAAS (software de serviços), com a finalidade de empoderar as empresas importadoras de todos os tamanhos e dar visibilidade e transparência aos processos de importação e suas múltiplas etapas”, afirma Schabbel.

A plataforma D2P tem como meta ser o modelo de disrupção do setor de logística. “Nosso objetivo é investir continuamente na expansão do negócio. Temos grandes expectativas com o novo governo. Esperamos uma abertura ampla de nossa economia, com uma inserção maior do Brasil no cenário internacional, onde a nossa participação atual ainda é pequena, em relação ao tamanho do país”, complementa Paul.

A D2P acredita muito na retomada da economia. “Nossa expectativa é que, as trocas internacionais se ampliem e o crescimento ultrapasse os dois dígitos nos próximos quatro anos. É bem provável que o Brasil exceda os US$ 500 bilhões em trocas internacionais, representando um crescimento de 20% até 2022. Essa evolução terá um efeito multiplicador enorme sobre toda a cadeia, gerando empregos e maior competitividade aos produtos manufaturados brasileiros”, finaliza.

Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Top do Transporte
Brasil Log
Brasil Log
Brasil Log
Translifit Retrak w6connect Business Park