Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Distribuição 6 de dezembro de 2023

Cenário dinâmico atual, com maiores exigências dos clientes, impõe alterações no Tempo Médio de Atendimento

Estas alterações implicam desde a reavaliação de processos já existente até o investimento em tecnologia e estrutura de movimentação e armazenagem de materiais, sem esquecer do balanceamento dos prazos curtos com os custos envolvidos.

“Não é segredo: para atender clientes acostumados a prazos cada vez mais enxutos, os Operadores Logísticos e as empresas de distribuição devem adotar estratégias ágeis e eficientes em toda a cadeia de suprimentos. É preciso reavaliar processos, investir em tecnologia e reorganizar Centros de Distribuição.”

Com esta afirmativa, respondendo sobre como os Operadores Logísticos e as empresas do segmento de distribuição devem repensar a cadeia para o atendimento de clientes acostumados com prazos cada vez mais enxutos, Djalma Campos, gerente de Operações da Andreani Logística, dá início a esta matéria especial de Logweb, que trata das alterações do TMA – Tempo Médio de Atendimento no cenário dinâmico atual.

Ainda segundo Campos, estoques menores e descentralizados aumentam a velocidade de atendimento a regiões periféricas das grandes cidades, e esse raciocínio também se aplica aos serviços fora das regiões centrais do Brasil. O consumidor do sertão – assim como o da capital – condiciona cada vez mais a sua decisão de compra ao prazo de entrega do produto. E o Operador Logístico deve entender que assumiu um papel de liderança e que o que antes era considerado apenas tático passou a ser estratégico para o negócio do seu cliente. 

“Em suma, entendo que só as empresas que agirem rapidamente e se adaptarem a esta realidade de mercado permanecerão competitivas”, adverte o gerente de Operações. 

Pode-se dizer, como coloca Renato Mantoani, diretor Operacional da Dallogs Express Logística, que o futuro das operações logísticas de distribuição e as expectativas cada vez mais exigentes dos clientes finais exigem das empresas de logísticas grandes investimentos em tecnologia e estrutura de movimentação de materiais, como esteiras, equipamentos que auxiliem na velocidade e rastreabilidade dos pedidos, bem como em Centros de Distribuição estrategicamente localizados e divididos por regiões, com atendimento mais capilarizado e menos perda de tempo no deslocamento do veículo em sua rota.

Amaury Furlaneto Vitor, diretor de Operações Ground da DHL Express, acredita que o principal desafio dos Operadores Logísticos é balancear os prazos curtos com os custos envolvidos. “Seria simples resolver a equação com recursos ilimitados. Mas não é isso que ocorre no mundo real. Por isso o planejamento estratégico e desenho de uma rede e malha eficientes, customizadas, são extremamente importantes.”

A correta aplicação dos conceitos da “logística colaborativa” tem impacto decisivo nessa jornada, ainda segundo Vitor. Usar espaços e fazer transferências de cargas (middle mile) compartilhadas, bem como reduzir a distância da última milha (last mile) através da instalação de pontos de distribuição avançados, são fundamentais para a redução dos prazos e custos. A contratação de Operadores especializados em entregas urbanas através de veículos menores (utilitários, bicicletas, motos e scooters), preferencialmente elétricos, complementa as sugestões.

“Há uma tendência natural na redução cada vez maior nos prazos de entrega. Sairá na frente quem conseguir, por meio de uma logística mais eficiente, atender esta nova demanda de pedidos no mesmo dia. Para isso, a cadeia de logística deverá ser reestruturada, criando pontos de entrega expressos no formato de dark stores em zonas de concentração de demanda. O maior desafio, além da nova estrutura logística, é o uso de tecnologia para suportar esses pedidos expressos que virão de plataformas digitais/marketplaces”, coloca, agora, Roberto Zampini Jr, CEO da Imediato Nexway.

Julio Nishino, diretor Comercial, Solutions Design e Marketing da Supporte Logística, entende que não existe uma única resposta para suprir a demanda por prazos cada vez mais enxutos. Para clientes com altíssimo valor agregado, muitas vezes vale manter um estoque centralizado numa região de fácil pulverização, enquanto para clientes com produtos de menor valor, vale manter estoques em regiões críticas, como Norte e Nordeste, e um estoque para atender as demais regiões! Tudo isso aliado a micro estoques de curva A avançados em dark stores, processamento de pedidos ágil, podendo envolver tecnologia para separação mais rápida, e uma operação de transporte extremamente responsiva, trabalhando com sincromodalidade e roteirização para que não só o last mile, que é o fim da cadeia, seja ágil, mas toda a cadeia. “Consideramos que tão importante quanto o prazo enxuto, é operacionalizar tudo isso a custos enxutos, porque por mais que a demanda seja cada vez mais por prazos menores, os consumidores não estão dispostos a pagar por esse serviço na mesma proporção.”

Certamente, dinamismo operacional só pode dar certo se estiver acompanhado de processos altamente digitalizados e com sistemas integrados. Para Ronaldo Fernandes da Silva, presidente da FM Logistic do Brasil, atualmente, os clientes não exigem apenas prazos cada vez mais dinâmicos e enxutos, mas, também, ações estratégicas voltadas à sustentabilidade. “Porém, acreditamos que a palavra-chave para respaldar cadeias logísticas ainda mais ágeis e enxutas é a cooperação estratégica e transparente entre OLs e clientes.”

De fato, como diz Sérgio Alexandre Carvalho, diretor de Tecnologia da GT Soluções Logísticas – Grupo Toniato, foco na eficiência e na rapidez são as palavras-chave. E para isso os Operadores Logísticos precisam cada vez mais de tecnologia ao longo de toda a cadeia e, principalmente, explorar ao máximo as inovações que a Inteligência Artificial tem nos proporcionado atualmente. A integração de dados e a análise preditiva são fundamentais nesse processo. A IA permite uma previsão mais precisa da demanda e a otimização do estoque, reduzindo os tempos de espera.

Outro aspecto crucial – ainda segundo Carvalho – é a otimização de rotas, onde esses sistemas podem analisar padrões de tráfego e condições de entrega em tempo real para sugerir as rotas mais rápidas e eficientes. Por fim, é vital manter a cadeia logística flexível e adaptável, capaz de responder rapidamente às mudanças no mercado ou interrupções.

Também para Wagner Machado Cardoso, diretor comercial da Maxton Logística e Transportes, o uso da tecnologia auxilia muito nessa otimização, trazendo maior agilidade em todos os processos. Assim, diz ele, é preciso investir em automação dos processos logísticos em armazenagem e utilizar tecnologias de rastreamento e monitoramento em tempo real para acompanhar o movimento de mercadorias, melhorar a visibilidade e reduzir a incerteza. A organização e a aplicação das boas práticas também são essenciais. Foco no atendimento geográfico, rapidez na preparação dos pedidos e boa roteirização para entrega também são algumas otimizações que podem melhorar os prazos, segundo Cardoso.

“Não há como pensar a cadeia logística sem tecnologia hoje, pois os tempos têm que ser cada vez mais curtos, sem abrir mão da qualidade. A agilidade da comunicação entre as partes envolvidas é fundamental – indústria, transportadora, caminhoneiro e cliente final –, para que eventuais problemas sejam identificados e resolvidos no menor espaço de tempo. Acreditamos também que a criação de cadeias logísticas sustentáveis, com a eliminação de intermediários, também ajuda na elevação do padrão de qualidade e na satisfação do cliente final”, emenda João Rigueiral, COO do OJO.

Tiago Rafael Costa Silva, gerente Executivo Operacional da Tegma, avalia que, para otimizar a cadeia logística e atender clientes com prazos cada vez mais curtos, Operadores Logísticos e empresas de distribuição precisam repensar suas estratégias. Uma experiência de cliente extraordinária é crucial para a fidelização, o que pode ser alcançado mantendo os clientes constantemente informados sobre cada etapa de seus pedidos, entregas e serviços. Isso não só traz confiança e credibilidade, mas também evita retrabalhos e custos adicionais. A implementação de uma Torre de Controle eficiente é vital nesse processo.

E Rosemary Panossian, fundadora da Confiancelog, fecha este assunto declarando que, buscando atender essas demandas, é preciso trabalhar na melhoria contínua com foco nos seguintes itens: tecnologia – WMS, coletores, sistemas de gestão, monitoramento e controle; processo, visando qualidade nos serviços e eficiência de custo; armazenagem e estoques estratégicos, para melhor aproveitamento dos espaços e maior agilidade na operação; parceiros e fornecedores – ter sempre parceiros competentes e que estejam alinhados com os valores e dinâmica da empresa, abrangendo transporte, sistema e fornecedores em geral; entregas rápidas e efetivas – entregar com rapidez e capilaridade; logística reversa, para ganhar tempo e eficiência financeira; previsão de demandas – estar atento à sazonalidade e se preparar para demandas extras com velocidade; RH – colaboradores treinados e valorizados. “Investir no treinamento e valorização da equipe não apenas beneficia o indivíduo, como também gera impacto positivo em diversos aspectos da empresa, promovendo crescimento sustentável e sucesso a longo prazo”, completa Rosemary.  

Dicas

Operadores logísticos e empresas de distribuição podem otimizar suas operações de diversas maneiras e, claro, com diversos investimentos diferentes. Este caminho pode ser alcançado através da implementação de sistemas de automação de processos logísticos, como picking e embalagem, para aumentar a eficiência e reduzir prazos. Incluindo o uso de Inteligência Artificial alimentada por tecnologia robótica para gerenciamento de estoque e atendimento de pedidos. 

Reconhecendo que as empresas têm realidades de investimento diferentes, Campos, da Andreani Logística, destaca algumas ações que podem transformar esta busca incessante pela excelência: 

• Treinamento contínuo da equipe para garantir eficiência nos processos operacionais. A ênfase deve ser colocada no desenvolvimento de habilidades de resolução de problemas, a fim de resolver desafios logísticos de forma rápida e eficiente;

• Parcerias com transportadoras eficientes e confiáveis, ​​garantindo entregas rápidas, a menos que a empresa atenda 100% das regiões vendidas com frota própria. Além disso, é necessário trabalhar em estreita colaboração com os fornecedores de insumos de produção para otimizar a sincronização da cadeia de abastecimento;

• Gestão avançada de estoque para evitar faltas e disponibilizar pedidos sob demanda. Ter um software confiável é importante, mas ter processos e procedimentos robustos é essencial para mitigar erros de inventário;

• Localização estratégica do Centro de Distribuição para reduzir o tempo de transporte e atender rapidamente diversas regiões. A armazenagem descentralizada certamente ajuda nessa tarefa de minimizar a distância entre os produtos e os pontos de entrega. Contar com parcerias estratégicas é uma alternativa para reduzir custos operacionais e diminuir necessidades de investimentos. 

Janini Cavalcante, supervisora de Controladoria da Dallogs Express Logística, também elenca uma série de dicas para aumentar a velocidade e acuracidade na separação de pedidos: 

• Agilidade de processos. Todos os processos de expedição deverão se tornar mais eficientes quando os controles referentes a entradas e saídas são feitos de maneira estratégica, permitindo uma otimização no tempo das ações e as tornando mais ágeis;

• Entendimento de como deve ser realizada a armazenagem. Em relação ao trabalho relacionado ao picking e ao Cross Docking, deverão ser adotadas algumas regras – o ideal seria contar com estratégias com relação a recebimento, armazenagem, separação e expedição. 

• Treinamento e capacitação da equipe operacional. Os treinamentos constantes dos colaboradores são essenciais para garantir a qualidade no trabalho e, consequentemente, a acuracidade na entrega de pedidos.

Como se pode notar, existem diversas maneiras de melhorar a velocidade e a precisão na separação de pedidos como Operador Logístico. Porém, a combinação de tecnologia adequada, processos definidos e uma equipe bem treinada é fundamental para um processo logístico ágil e sem gargalos, aponta Silva, da FM Logistic.

“Entre os processos que podem agilizar a separação de pedidos podemos citar um layout otimizado do armazém, o que reduz o tempo de deslocamento e aumenta consideravelmente a eficiência. Um sistema de gerenciamento de estoque eficaz e que possibilite rastrear a localização exata dos produtos auxilia na identificação e separação dos itens. Utilizar tecnologias no picking, como scanners de código de barras, dispositivos móveis ou sistemas de voz para orientar operadores, reflete em melhora da precisão. Padronizar processos reduz os erros e aumenta a consistência na execução das atividades. Investir regularmente em treinamento e capacitação dos colaboradores, os aproximando ainda mais das novas tecnologias, faz com que os processos sejam mais dinâmicos. A correta análise dos dados de desempenho auxilia na identificação de problemas e aponta possíveis melhorias que devem ser aplicadas para a otimização do fluxo operacional. O Cross Docking é uma estratégia que impacta diretamente na redução do tempo de armazenagem e acelera a entrega de pedidos”, relaciona o presidente da FM Logistics.

O uso intensivo da “digitalização” aqui é fundamental, diz Vitor, da DHL Express. Por exemplo: armazéns automatizados, picking e sortings robotizados, etiquetas inteligentes (RFID, smart label), esteiras, scanners e dispositivos vestíveis (weareble sensors) e, complementando, regimes especiais para simplificação da emissão dos documentos fiscais, garantem agilidade e acuracidade no processamento de pedidos. “Para aumentar a velocidade e acuracidade na separação de pedidos, é crucial focar em organização do armazém, padronização de processos, adoção de tecnologias de rastreamento e picking, layout eficiente e treinamento da equipe”, completa Rosemary, da Confiancelog.

Carvalho, da GT Soluções Logísticas, também pontua que, aumentar a velocidade e a precisão na separação de pedidos é um desafio que pode ser superado com o uso de tecnologias avançadas. Começar com um bom WMS que permita implementar endereçamento dos produtos armazenados de forma automatizada, baseada em algoritmos que analisem o tipo de embalagem, giro dos produtos, compatibilidade e otimize a movimentação desses produtos, criando rotas de separação dentro do armazém, é algo fundamental para ter ganhos de produtividade e otimização do espaço. A capacitação contínua dos funcionários para que possam operar eficientemente com as novas tecnologias também é fundamental.

“Para aumentar a velocidade e precisão na separação de pedidos é essencial adotar uma ferramenta avançada de gerenciamento de armazém (WMS). Ela utiliza inteligência para otimizar rotas de separação e agrupar características de pedidos de diversos clientes. Além disso, a ferramenta permite um processo de armazenagem que considera as características de cada tipo de produto, melhorando a agilidade na separação, acrescenta Costa Silva, da Tegma

Cardoso, da Maxton, também relaciona algumas dicas para aumentar a velocidade e acuracidade na separação de pedidos: utilização de coletores de dados; utilização de sistemas de picking automatizados; treinamento constante das equipes; inventário rotativo. “Esses são alguns processos e práticas que ajudam na acurácia da separação de pedidos, juntamente com implementar estratégias de armazenagem inteligente para minimizar o tempo de movimentação e preparação de pedidos e manter estoques estratégicos para reduzir os prazos de entrega.”

Por seu lado, Zampini Jr, da Imediato Nexway, avalia que a criação de dark stores em locais de concentração de demanda é um caminho sem volta para as empresas que querem diminuir o prazo de entrega, inclusive entregando no mesmo dia. Com o uso de tecnologia, é possível garantir a melhor acuracidade e rastreamento do pedido.

“Como todo bom profissional de logística, o princípio básico para a excelência na execução de qualquer atividade é ter um bom planejamento. Com um bom planejamento de demanda para atendimento de pedidos e um bom planejamento de alocação dos materiais em estoque, a acuracidade no atendimento dos pedidos será mais rápida e responsiva. Um bom sistema de alocação de transporte e roteirização também é fundamental para que na fase final você consiga atender os pedidos dentro dos prazos estabelecidos com os clientes. O tracking de cada etapa para o cliente em tempo real seria um ‘plus’ anos atrás… hoje é realidade e precisa ser disponibilizado”, diz Rigueiral, do OJO.

Nishino, da Supporte Logística, pondera que quando falamos em velocidade em um processo como separação de pedidos, pensar em toda cadeia é fundamental. Uma integração sistêmica rápida e segura com os clientes permite não sobrecarregar o restante da cadeia. Caso os clientes tenham ERPs muito fechados, tentar criar uma camada intermediária, microsserviços ou algo do gênero! “Uma vez com o pedido ‘dentro de casa’, ele seguirá para a melhor solução de picking para o determinado produto/nível de serviço acordado (SLA). Algumas soluções envolvem muita mecanização/automatização, outras envolvem mais pessoas. Independente do modelo que será seguido, ter um processo Lean, ágil e sem desperdício, é fundamental.”

Experiência dos clientes

Para atender à demanda por prazos mais curtos e pontualidade, não basta oferecer opções de entrega expressa. Para realmente encantar o cliente, é preciso colocá-lo no centro das operações. 

É preciso fornecer informações em tempo real sobre o status de seus pedidos e rastreamento de entrega. Vale ressaltar a importância do uso de plataformas online, FAQs ou outras ferramentas de autoatendimento para facilitar que os próprios clientes encontrem as respostas. 

“O segredo é realizar pesquisas de satisfação do cliente para entender suas expectativas e necessidades, analisar o feedback do cliente e identificar áreas de melhoria. Não podemos deixar de lado a figura do entregador: são obrigatórios o investimento em formação, a remuneração justa e a oferta das melhores condições de trabalho para motivar quem carrega a imagem da empresa todos os dias na rua.” Os comentários são de Campos, da Andreani Logística, quando o assunto é como melhorar a experiência dos clientes no ato da entrega.

“Além do rígido cumprimento das expectativas em termos de tempo de trânsito, os clientes querem que a remessa chegue correta e íntegra. Para melhorar essa experiência é necessário manter o cliente informado em tempo real sobre o status da entrega (tracking e rastreabilidade), oferecer opções de agendamento, comprovação eletrônica (POD) e diferentes formatos de entregas, como pontos alternativos (lojas, parceiros) e armários (lockers) disponibilizados em locais estratégicos (metrô, shoppings centers, condomínios)”, acrescenta Vitor, da DHL Express.

Também para Silva, da FM Logistic, é primordial priorizar a conveniência, transparência e atendimento excepcional durante o processo de entrega, o que pode melhorar significativamente a experiência do cliente e fortalecer a reputação do Operador Logístico no mercado.

“Uma experiência positiva do cliente na entrega é crucial para a satisfação e fidelização. E para que isso ocorra, o OL precisa, obrigatoriamente, manter uma comunicação transparente com os clientes sobre o status da operação, ter opções de entregas flexíveis, com agendamento de horário, entregas pontuais, pontos de coleta. Além disso, o rastreamento em tempo real em um mundo 100% digitalizado permite a programação prévia do cliente para o recebimento da entrega. Equipes bem treinadas para respaldar a operação do início ao fim, embalagens adequadas e processo de devolução simplificado também refletem diretamente na satisfação do cliente no ato da entrega”, diz o presidente da FM Logistic.

De fato, a ênfase na comunicação eficiente e na transparência é crucial. De acordo com Carvalho, da GT Soluções Logísticas, plataformas de rastreamento em tempo real, capazes de gerar notificações sobre eventuais atrasos e facilitar a antecipação na gestão das ocorrências de entrega, são ferramentas valiosas. Além disso, a implementação de uma Torre de Controle contribui para maior flexibilidade e pontualidade nas entregas. Essas medidas, combinadas com a formação de motoristas bem capacitados para o atendimento ao cliente, são fundamentais para proporcionar uma melhor experiência aos clientes. Juntas, estas estratégias melhoram significativamente a satisfação do cliente, refletindo o compromisso da empresa com a excelência no serviço.

“É essencial lembrar que, no ambiente competitivo de hoje, a experiência do cliente é um fator crucial para o sucesso de qualquer negócio. Utilizar ferramentas de monitoramento em tempo real da carga, comprovantes de entrega digitais e plataformas que facilitam a comunicação entre a indústria, o cliente e o motorista do caminhão são bastante significativas para melhorar a experiência da entrega. Além disso, essas estratégias também podem contribuir para a reputação da empresa e para a fidelização dos clientes, promovendo o crescimento do negócio a longo prazo. Uma vez que reduzem a ansiedade do cliente e fornecem informações precisas sobre o progresso da entrega.”

Ainda de acordo com Rigueiral, do OJO, o monitoramento da carga em tempo real permite acompanhar o status e a localização da entrega. Bem como facilita a comunicação entre o motorista do caminhão, a equipe de logística e o cliente final. O comprovante de entrega digital proporciona maior transparência para o cliente e para a empresa, pois pode ser facilmente registrado e compartilhado instantaneamente. Além de reduzir o risco de erros ou extravios de documentos.

Além disso, é válido utilizar plataformas que conectem a indústria com o cliente e o motorista do caminhão. Por meio delas, é possível otimizar rotas, monitorar o desempenho dos motoristas e fornecer atualizações em tempo real para o cliente. Essas soluções tecnológicas agilizam o processo de entrega, melhorando a eficiência operacional, reduzindo custos e proporcionando uma experiência mais satisfatória para o cliente, aponta o COO do OJO.

Na visão de Rosemary, da Confiancelog, melhorar a experiência dos clientes no ato de entrega envolve cargas organizadas, pontualidade, transporte limpo e pessoal uniformizado e treinado. “O momento da entrega é a realização de um pedido, seja para um B2B ou B2C, o cliente precisa reconhecer o valor da mercadoria e do serviço no primeiro contato, e a boa impressão é crucial para gerar satisfação.”  

Para Mariana Coelho, supervisora Comercial da Dallogs Express Logística, é fundamental a análise do PDV e sua regra e suas características de recebimento em relação à ordem de chegada, agendamento, recebimento paletizado e particularidades em geral. “Onde a roteirização deve ser feita com a preventiva de horário médio de tempo em se concluir a entrega até a assinatura do canhoto e liberação do veículo.”

Também para Cardoso, da Maxton, aqui estão envolvidos fatores como cumprimento do prazo de entrega, produto e quantidade corretos de acordo com o pedido, qualidade na embalagem, garantindo a integridade dos produtos, e colaboradores treinados para não só entregar, mas interagir com o cliente – é preciso entender que os entregadores são também a imagem das empresas perante o cliente no ato da entrega. Outros fatores incluem manter parceiros estratégicos no last mile com tecnologia de rastreamento e retorno da entrega final e desenvolver planos de contingência para lidar com interrupções inesperadas na cadeia.

Já Zampini Jr, da Imediato Nexway, decreta: o primeiro passo é garantir que os produtos disponíveis na plataforma de vendas/marketplace realmente estejam disponíveis para entrega conforme o prazo acordado. O desafio é garantir a confiança do consumidor e aperfeiçoar cada vez mais o rastreamento do pedido, por meio de ferramentas de tracking no formato “friendly” ao consumidor/cliente.

“Cumprir ou superar as expectativas de prazo é o primeiro passo! Porém, também é preciso focar cada vez mais em também chegar no melhor momento, e isso é impossível sem contar com tecnologia ao longo de todo processo. IA é um caminho sem volta para se aprimorar a experiência dos clientes”, acrescenta Nishino, da Supporte Logística.

Completando esta questão, Costa Silva, da Tegma, aponta: a melhoria da experiência do cliente na entrega envolve cumprir todos os processos acordados no momento da compra, ter equipes bem treinadas e responsáveis, além de contar com equipamentos em excelentes condições e uma equipe bem apresentável.

Roteirização

A roteirização de entrega é um processo fundamental para otimizar a logística e alcançar os melhores resultados em termos de eficiência, redução de custos e satisfação do cliente. Rotas otimizadas significam menos quilômetros percorridos e, consequentemente, menor consumo de combustível. A redução do tempo de viagem também reduz os custos operacionais associados à manutenção e mão de obra dos veículos.  

O roteamento permite um gerenciamento de frota mais eficiente e distribui adequadamente a carga de trabalho entre os veículos disponíveis. Rotas otimizadas reduzem as emissões de carbono e contribuem para práticas mais sustentáveis ​​e alinhadas com as preocupações ambientais.  

“Em suma, o roteamento de abastecimento é fundamental para otimizar processos, reduzir custos, melhorar a satisfação do cliente e promover práticas mais sustentáveis. A implementação eficaz de sistemas de roteirização pode levar a benefícios significativos para as operações logísticas e para o sucesso geral do negócio”, diz Campos, da Andreani Logística.

Também para Rosemary, da Confiancelog, a roteirização de entregas é importante para otimizar a eficiência logística, minimizar custos, reduzir o tempo de entrega e melhorar a satisfação do cliente ao garantir que os veículos sigam trajetos otimizados, economizando tempo e recursos. “Uma roteirização eficiente garante atender o prazo acordado com o menor custo operacional possível. Para isso, é necessária uma ferramenta de roteirização com atualizações de informações online de cada rota, além dos parâmetros prévios, para que as informações sejam cada vez mais reais e garantam a eficiência da entrega”, acrescenta Zampini Jr, da Imediato Nexway.  

O planejamento de roteirização se torna fundamental para assertividade do horário de chegada do veículo, obedecendo as regras iniciais do recebimento, sejam elas relacionadas à pontualidade de data, ao agendamento, à produtividade do veículo etc., aponta, agora, Mantoani, da Dallogs Express Logística.

Devido à enorme gama de restrições existentes na atividade de distribuição/entregas porta a porta, como áreas de risco, horário de atendimento, jornada de trabalho, valores segurados (PGR) etc., é extremamente importante implementar um eficiente macroplanejamento das rotas. Isso permitirá ao Operador Logístico cobrir três princípios mandatórios para obter os melhores resultados em termos de custos e nível de serviço: (a) adequar o tipo do veículo (utilitário, van, VUC, etc.) à região a ser atendida, (b) otimizar a frota e (c) agilização das entregas.

“É justamente nesse terceiro ponto (c) que o uso de softwares de roteirização suporta a atividade. Com a ‘ótima’ sugestão sequencial das paradas haverá ganhos de tempo na organização da carga dentro dos veículos, redução da quilometragem percorrida (economia combustível), menor tempo nas paradas e, por fim, maior número de entregas por veículo (produtividade)”, ensina Vitor, da DHL Express.

Silva, da FM Logistic, também falando sobre a importância de roteirizar as entregas para obter os melhores resultados, decreta: a roteirização de entregas é essencial para a eficiência operacional em um processo logístico. Ao planejar as rotas de entrega de forma eficiente, essa prática reduz custos operacionais, economiza tempo, permite o cumprimento de prazos e melhora a satisfação do cliente. Além disso, a roteirização possibilita maior capacidade de planejamento, redução de custos, gestão de frota otimizada, análise de dados para melhorias contínuas e redução do impacto ambiental.

“A roteirização eficiente das entregas é vital para alcançar excelência em logística, trazendo benefícios significativos não só em eficiência, mas também em sustentabilidade. Essa abordagem não apenas economiza tempo e recursos, ao reduzir a distância percorrida e o consumo de combustível, mas também desempenha um papel crucial na diminuição da pegada de carbono, contribuindo para práticas de distribuição mais sustentáveis. Além disso, garantir entregas mais rápidas e confiáveis eleva a satisfação do cliente. A utilização de Inteligência Artificial na roteirização possibilita a análise de uma ampla gama de dados, como padrões de tráfego, condições das estradas e preferências dos clientes, para identificar as rotas mais eficientes. Isso resulta em um planejamento mais acurado e uma execução mais precisa das entregas, otimizando os custos operacionais e melhorando a experiência do cliente, enquanto promove práticas de distribuição ambientalmente responsáveis”, diz Carvalho, da GT Soluções Logísticas.

Na verdade, como diz Rigueiral, do OJO, ao planejar as rotas de forma inteligente, levando em consideração fatores como distância, tempo estimado de entrega, congestionamentos de trânsito e pontos de coleta e entrega, as empresas podem reduzir os custos de transporte, diminuir o tempo de espera e garantir uma entrega mais rápida e eficiente. Além disso, a roteirização contribui para a redução das emissões de carbono, impulsionando as iniciativas de sustentabilidade da empresa. Ao implementar essa estratégia, não apenas os processos logísticos serão otimizados, mas também a reputação da empresa será fortalecida, resultando em melhores classificações nos mecanismos de busca e maior visibilidade online. E isso a tecnologia já nos permite fazer. 

Também para Cardoso, da Maxton, com a roteirização, além de otimizar o tempo das entregas, é possível definir o melhor trajeto, entregando um maior volume em menor tempo, melhorando, assim, a produtividade por veículo e, consequentemente, reduzindo despesas do fluxo. Também é preciso oferecer opções de entrega expressa ou mesmo entregas no mesmo dia, dependendo do tipo de produto e da localização do cliente, e manter uma comunicação eficaz com os clientes, informando sobre o status de seus pedidos e eventuais atrasos, caso ocorram.

Empresas participantes

Andreani Logística – Oferece soluções de logística e distribuição para indústrias focadas na saúde humana e animal.

Confiancelog – Armazém frigorificado 3PL que oferece uma ampla gama de serviços integrados.

Dallogs Express Logística – Empresa de logística de distribuição em nível nacional.

DHL Express – Considerada a maior empresa de envios expressos do mundo.

FM Logistic – Oferece soluções logísticas de armazenagem, co-packing, nacionalização e transportes de cargas completas e fracionadas, incluindo soluções de e-commerce e omnichannel.

GT Soluções Logísticas – Grupo Toniato – É composta por três negócios que se interagem estrategicamente, o Transporte, a Logística e a Tecnologia. O foco está nos segmentos químicos, agroquímicos e em todo o mercado que exija especialização.

Maxton Logística e Transportes – Oferece serviços de armazenagem, inclusive para o e-commerce, e transporte.

Imediato Nexway – Considerada uma das maiores operadoras logísticas do Brasil, atua na prestação de Serviços Dedicados e Colaborativos.

OJO – Startup curitibana especialista em gestão de fretes para indústrias. Atualmente, tem soluções para diversos segmentos em todo território nacional e conta com mais de 50 mil caminhoneiros cadastrados, 300 transportadoras e diversas indústrias.

Supporte Logística – Operador/Integrador Logístico asset light, com foco em soluções de ponta a ponta, desde operações de transportes, armazenagem geral, entrepostos de Manaus e recintos alfandegados.

Tegma – Operador Logístico responsável pela distribuição de aproximadamente um quarto dos veículos novos comercializados no país e pela logística integrada com gestão, transporte, armazenagem geral e alfandegada e distribuição para indústrias de diversos setores, como químico, farmacêutico, eletroeletrônico e bens de consumo, entre outros.

BR-101
Mundial Express
Savoy
Globalbat
Retrak
postal