Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Conteúdo 22 de março de 2021

As grandes empresas do e-commerce passarão a ser as grandes da logística?

O e-commerce vem ganhando cada vez mais espaço no cenário mundial e nacional. Por isso, é importante acompanharmos com atenção as movimentações dos principais players do e-commerce, como Americanas, Submarino, Shoptime, Soubarato (B2W), Magalu, Via Varejo, Amazon e Mercado Livre, entre outras.

Muitas destas empresas têm anunciado diversas aquisições, buscando fortalecer ainda mais seu ecossistema. Juntamente com as aquisições, tenho percebido um forte investimento em tecnologia, processos, pessoas e uma atenção muito especial à logística, tanto nas questões estratégicas como nas operacionais.

Sobre logística, dois fatores têm me chamado a atenção nas grandes empresas do e-commerce. O primeiro é que elas estão compreendendo que a logística é um dos grandes diferenciais competitivos durante a jornada de compra do cliente (período entre ele escolher, comprar e receber).

E nós sabemos que uma boa experiência de compra é fundamental para que os clientes recomendem a empresa e pensem nela no momento de uma nova compra.

Outro fator que tenho observado é que algumas destas empresas estão deixando de ver a área de logística apenas como um centro de custos (despesas), passando então a enxergar as oportunidades que a logística pode trazer. Fato que não era muito comum.

Vejo empresas de e-commerce investindo em reforçar sua logística própria (pessoas, estrutura física, veículos, processos e tecnologia), passando assim a tratar esta área como um negócio independente, cuja missão é atender o nível de serviço dos clientes a custos adequados, mas também aumentar a oferta de serviços logísticos (fulfillment) aos parceiros que usam seus marketplaces e, quem sabe, ofertar estes serviços até para os que ainda não são seus parceiros.

Olhando para este ponto, em que a logística passa a ser vista por estas grandes empresas de e-commerce como um negócio, fico aqui pensando:

• Será que as grandes empresas de e-commerce irão virar grandes empresas de logística?
• E se isso acontecer, como os grandes Operadores Logísticos irão se comportar diante do surgimento de concorrentes de peso, que já possuem um expressivo volume de carga e estão buscando ampliar suas estruturas físicas, investindo em pessoal, processos e tecnologia?

Ainda não sei a reposta exata a estas perguntas. Por isso vou ficar atento, acompanhando os próximos passos para entender como o mercado vai responder.

Mas diante deste cenário de mudanças e reflexões, posso dizer que fico muito contente em perceber que a logística vem ganhando cada vez mais espaço e protagonismo no mundo dos negócios.

Hélio Meirim Hélio Meirim

CEO da HRM Logística Consultora & Treinamento, atuou por mais de 20 anos, no Brasil e no exterior (Estados Unidos, México, Chile, Espanha e Portugal), em cargos executivos de empresas nacionais e multinacionais nos segmentos de Operadores Logísticos, transportadores, varejo, e-commerce, indústria farmacêutica, alimentícia, siderúrgica, química e agrobusiness. Mestre em Administração, possui especializações em Marketing, Logística, Docência Superior e Análise de Projetos e Sistemas. Mentor, professor, escritor e palestrante em diversos eventos nacionais e internacionais e coordenador da Comissão de Logística do Conselho Regional de Administração – RJ. Por dois anos, recebeu a moção honrosa por serviços relevantes prestados à profissão de Administrador, concedida pela ALERJ – Assembleia Legislativa RJ. Continua sendo um eterno estudante e pesquisador.

postal
JLL
JLL
JLL
JLL
postal
Sds
Retrak
savoy
JLL