Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Transporte aéreo 15 de maio de 2024

Com investimento de EUR 90,5 mi, DHL Supply Chain anuncia parceria com a Levu para solução de transporte aéreo doméstico

A DHL Supply Chain, líder global em armazenagem e distribuição, acaba de fechar uma parceria com a Levu Air Cargo, companhia aérea cargueira brasileira, para lançar no país uma solução de transporte aéreo doméstico para carga. O projeto, que receberá um investimento de 90,5 milhões de euros, contempla quatro aeronaves cargueiras, sendo que a primeira entra em operação já neste mês de maio.

Inicialmente, os voos farão a rota Viracopos (Campinas/SP) – Manaus (AM), diário, e Viracopos – Recife (PE), com três saídas por semana. Este projeto, que envolveu a abertura ou ampliação de filiais nas cidades atendidas, gerou 200 empregos diretos e cerca de 500 indiretos.

Foto: Guilherme Ramos

Com a evolução das cadeias de suprimentos – principalmente a maior demanda por agilidade e segurança de setores como o de saúde, tecnologia, automotivo e e-commerce –, o mercado de transporte aéreo de carga vem ganhando protagonismo no Brasil. Em 2020, a DHL Supply Chain já havia lançado um hub aéreo com acesso ao lado pista do Aeroporto de Guarulhos a fim de conferir mais celeridade e qualidade ao processamento desta movimentação.

Agora, a proposta é chegar mais perto da execução, mantendo a parte de processamento e gestão da carga e tendo a Levu como parceira facilitadora na operação dos voos e todos os trâmites aéreos. Os parceiros vão dividir também a capacidade de cada voo, com prioridade de ocupação em caso de vacância.

Essa rota será utilizada também pelas outras unidades de negócio do grupo DHL no Brasil, a DHL Global Forwarding e DHL Express, que terão como parceiro doméstico as linhas Levu/DHL Supply Chain para conectar as remessas internacionais transportadas por elas, facilitando, assim, processos de importação e exportação e usando também a POLAR, outra empresa do Grupo DHL, para os processos de conexão rodoviária com as DTAs (Declaração de Trânsito Aduaneiro) e DIs (Declaração de Importação).

Para o vice-presidente de Transportes da DHL Supply Chain, Solon Barrios, “este projeto reúne três aspectos fundamentais de uma operação logística sólida e eficiente: especialização dos parceiros, capacidade operacional e garantia do nível do serviço, além de boa frequência e possibilidade de conexões para outras cidades e países. Com isso, queremos que mais e mais empresas acessem os benefícios já conhecidos do modal aéreo, ainda mais levando em consideração as dimensões continentais do Brasil”.

Já para o CEO da Levu Air Cargo, Rodrigo Pacheco, as projeções de crescimento do mercado de carga aérea no Brasil foram decisivas para a implementação da Levu Air Cargo. A empresa, com sede em Campinas, SP, tem o foco exclusivo no transporte de cargas. “Com rotas domésticas diárias e terminais em cidades estratégicas, a Levu Air Cargo realizará toda a cadeia logística de mercadorias de alto valor agregado e life sciences”, pontua.

Ainda de acordo com Pacheco, a empresa tem o foco na construção de soluções logísticas específicas para atender a demanda dos clientes, garantindo o transporte seguro e eficiente das cargas de ponta a ponta. “Também iremos ter a solução para ULDs com controle de temperatura (contêineres aéreos projetados que tornam o carregamento e o descarregamento fáceis e rápidos). Seremos a primeira companhia aérea de carga nacional a ter esta solução para transporte de cargas life science, sem risco de alteração da temperatura das cargas. Com isso traremos eficiência a um nível de SLA para atingir os mais altos padrões de excelência na prestação dos serviços aos clientes.”

Serão quatro aeronaves Airbus, sendo dois A330-300P2F (Passenger to freighter) com capacidade de 59 tons e dois A321-200PCF P2F com capacidade de 27 tons. Os parceiros projetam transportar até 4 mil toneladas por mês no primeiro ano de operação, podendo chegar a 10 mil toneladas até o final de 2025. Os principais mercados alvo são: saúde (farmacêutico), eletroeletrônicos, automotivo e perecíveis. Além disso, por serem aeronaves exclusivamente cargueiras, elas poderão levar cargas mais pesadas, de dimensões maiores e cargas perigosas das classes 1 a 9, com exceção da 7, relacionada ao transporte de material radioativo.

“Os embarques em voos de passageiros são importantes por sua maior pulverização, mas os cargueiros trazem muitas vantagens. Primeiro, a garantia de espaço e confiabilidade de horário. Segundo, a versatilidade de cargas que podem receber. E, claro, com a maior consolidação, temos uma escala maior, condições ainda mais competitivas e o melhor lead time e nível de serviço do mercado”, explica o vice-presidente de Transportes da DHL Supply Chain.

Para as outras praças, a parceria oferece ainda duas opções: conexão com voos de outras companhias aéreas convencionais ou last mile via modal rodoviário da DHL Supply Chain e POLAR.

Enersys
Savoy
Retrak
postal