Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Segurança 26 de julho de 2021

Genetec oferece soluções de segurança completas e unificadas para o setor portuário

Um dos mais importantes modais de transporte logístico é o marítimo, pois nele trafegam 90% do volume do comércio global. No mundo a expectativa é de que este setor cresça, mesmo com a pandemia, uma média de 4,5% ao ano de 2020 a 2025. No Brasil, existem 36 portos marítimos, sendo 17 deles administrados pelas Companhias Docas e 19 concedidos para a iniciativa privada. De acordo com a Associação Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), só no segundo trimestre de 2021, os portos públicos movimentaram 101 milhões de toneladas de produtos, enquanto os privados foram responsáveis por 185 milhões de toneladas, o que representa um aumento de cerca de 8% no volume movimentado se comparado ao mesmo período de 2019.

“Considerando-se a grande importância da movimentação nos portos para a economia fica evidente que há uma boa tendência de recuperação. Porém, as deficiências dos portos nacionais em termos de automação e de produtividade são amplamente conhecidas e a eventual retomada econômica depende de sua modernização e maior produtividade”, afirma Fábio Ferreira, gerente da Vertical de Cidades e Infraestrutura da Genetec Brasil.

É claro que os volumes de transporte portuários poderiam ser muito mais expressivos se ocorresse uma modernização dessas infraestruturas a fim de viabilizar o recebimento de navios maiores e mais modernos. Os portos brasileiros precisam ter processos operacionais de produtivos mais ágeis, maior controle do tempo e dos volumes de mercadorias movimentadas em seus espaços, das descargas e cargas de produtos nos navios atracados. “Devem ter uma gestão de segurança mais eficiente, com efetiva contribuição para os negócios da organização como um todo. Para isto, é necessário ter um amplo monitoramento de toda a operação por câmeras, catracas e pórticos para melhor controle e monitoramento do tráfego interno das cargas, bem como do acesso das pessoas e de diferentes veículos automotores às diferentes áreas e clientes instalados dentro do porto”, explica Ferreira.

Por esta razão, é natural que os investimentos em tecnologia estejam se tornando cada vez mais frequentes na pauta das companhias de administração portuária, notadamente em busca da melhoria do desempenho dos processos operacionais e de segurança, especialmente para atendimento de regulações internacionais, como o International Ship and Port Security Code (ISPS Code ) , em vigor desde 2004, e proteção e melhor atendimento ao patrimônio e aos profissionais da instituição e dos clientes.

Por se tratar de grandes instalações, com áreas extensas e tumultuadas pelo tráfego de pessoas, equipamentos e veículos, nas quais trafegam enormes volumes de mercadorias, cujos valores são representativos, as companhias, além de serem responsáveis pelo patrimônio circulante dos clientes, respondem diretamente à fiscalização alfandegária e às legislações específicas. “Essa grande complexidade da operação, torna ainda mais fundamental ter a tecnologia como uma grande aliada. Só para se ter uma ideia do desafio, imagine controlar e monitorar a movimentação de 350 mil contêineres por mês, garantindo, praticamente com processos analógicos e manuais, que sua circulação, carregamento e descarga sejam precisos. Esta é a realidade da companhia que gere o Porto de Santos”, diz o gerente da Genetec

De acordo com Ferreira, a Genetec Inc. , líder em tecnologia de soluções unificadas de segurança privada e pública, operações e inteligência de negócios, tem acompanhado de perto as demandas do setor portuário no Brasil e no mundo. “No setor de portos, assim como em todos os que atuamos, nós fazemos questão de fazer uma imersão para conhecer efetivamente as necessidades, pontos fortes e fracos, com o objetivo de propormos soluções inovadoras e adequadas às diferentes especificidades”, explica Ferreira. Uma prova de que a estratégia que tem sido muito bem-sucedida é o fato de terem como clientes no Brasil os portos de Paranaguá, Antonina, Itajaí, Itaguaí, Santos, Sudeste e PECEM, entre outros, e no mundo, entre eles os portos Valparaíso, no Chile; e o Freeport, de Boston, nos EUA.

Conheça as soluções de segurança da Genetec para as rodovias

O carro-chefe entre as soluções é o Genetec Security Center , que, além de garantir a segurança patrimonial e cibernética dos sistemas de controle e monitoramento dos portos gera informações e inteligência para a tomada de decisões fundamentais para a rotina portuária cotidiana. É uma plataforma de segurança unificada, que acaba de ganhar uma nova versão 5.10, que elimina a lacuna entre os sistemas locais e a nuvem com novos serviços conectados.

A Genetec oferece para o setor portuário soluções em três frentes:

• Monitoramento e controle de perímetro, que detecta ingressos irregulares de pessoas em todo o perímetro e rastreamento em terra e à beira-mar, em tempo real, via câmeras. É fundamental porque estão entre os maiores problemas dos portos os roubos de carga, imigração e estiva ilegal, contrabando de drogas, armas, moeda e bebidas alcoólicas, entre outras mercadorias, acesso desautorizado, pirataria e terrorismo.

• Gestão e controle de pessoas e veículos – o Genetec Security Center também controla o acesso nas diferentes portarias, catracas e pórticos existentes nos portos, garantindo que só pessoas autorizadas entrem nas diferentes áreas portuárias. A ferramenta de leitura de placas , por exemplo, combinada ao reconhecimento óptico de caracteres dos containers (OCR), identifica à distância se um caminhão pode ou não ingressar no perímetro para carregamento ou descarregamento de um container. Isto ocorre por meio de dados pré-cadastrados dos veículos, que permitem a leitura de dados de suas placas dos veículos, e do código padrão do container, que, correlacionados com outras informações, confirmam se existe ou não autorização para aquele acesso. O motorista é também previamente cadastrado e tem sua biometria facial reconhecida no primeiro acesso. Com isso, seu veículo só pode trafegar nos locais nos quais tem permissão, o que garante maior assertividade do trajeto, do tempo de carga e descarga, assim coo maior segurança da carga transportada. O container também, ao ser desembarcado no pátio, é identificado pelo leitor OCR até que seja novamente carregado, de modo que a autoridade portuária e os operadores privados de terminais sejam capazes de rastrear e saber exatamente onde está determinada carga. No caso de inconsistência, o veículo pode ser desviado para um estacionamento provisório para verificação. Com os trens é possível efetuar a leitura da condição das locomotivas e de cada vagão quando ingressam na área do porto, informando ao destinatário sobre a carga e a descarga que serão efetuadas. O Security Center identifica por meio do leitor OCR o número da locomotiva e dos vagões, cujas imagens são armazenadas para auditoria futura. A plataforma conta ainda com novos plug-ins de IoT, que conectam diversos dispositivos que efetuam outras leituras, como das condições dos rodeiros, peso por roda, eixo e truck, peso total do vagão e condições físicas, de tal forma que é possível obter o peso da carga embarcada, na entrada e na saída..

• Gestão da segurança das pessoas – o objetivo é evitar incidentes, monitorando toda a área e controlando todo o fluxo das operações do porto e das empresas que nele trabalham com a Genetec Omnicast ™, que pode ser adequada à necessidade de monitoramento de vídeo de cada área. Aí entra em cena, o Streamvault ™ entra em cena para simplificar a implantação e a manutenção, além de oferecer um caminho claro para unificar suas operações de segurança.

• A ferramenta Genetec Restricted Security Area Survaillance possibilita que por intermédio de imagens de câmeras ou radares sejam monitoradas com precisão qualquer movimentação indevida no porto, gerando prontamente alertas de eventos ou incidentes, que exigem, por exemplo, o isolando da área afetada para reduzir o impacto na operação portuária. É possível evitar também movimentações não autorizadas de pessoas dentro da área portuária.

“Considerando-se os terminais marítimos, é possível integrar os radares e imagens ao Security Center, trazendo para uma única tela, o total monitoramento e gerenciamento de alarmes das operações portuárias. Além disso, com a solução Mission Control Incident Management , todos os dados podem ser correlacionados e vinculados aos procedimentos operacionais guiados pela plataforma”, explica o gerente da Vertical de Cidades e Infraestrutura da Genetec Brasil.

Segundo Ferreira, estas são apenas algumas das ferramentas que a Genetec pode incluir e integrar ao Security Center para atender a demanda portuária. “Como fazemos uma imersão para conhecer a infraestrutura e as demandas de segurança e de negócios dos portos, nós desenvolvemos projetos customizados para atender às demandas específicas de cada instituição e acreditamos que podemos contribuir de forma expressiva para a modernização dos sistemas de segurança e vigilância dos portos, trazendo desta forma importantes insights para as operações do dia a dia e para os negócios”, completa o executivo da Genetec.

webinar
webinar
alperseguros
fronius
Retrak
savoy
postal