Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Mulheres na Logística 2 de abril de 2024

Presença de mulheres no TRC sobe de 15% para 26%, segundo Índice de Equidade do Setcesp

Mesmo timidamente, a presença das mulheres no transporte rodoviário de cargas vem crescendo, segundo o Índice de Equidade no TRC, uma iniciativa do Movimento Vez & Voz, do Setcesp, em parceria com o IPTC (Instituto Paulista do Transporte de Cargas).

Em 2023, o quadro de colaboradores das empresas participantes era formado por 15% de mulheres; em 2024, a quantidade subiu para 26%. Entretanto, dois gaps continuaram: apenas 3% delas ocupam cargos de alta liderança e há somente 3% de motoristas mulheres. “Precisamos continuar o trabalho para aumentar a presença delas principalmente nessas duas funções que são muito importantes para as empresas do setor”, disse Ana Jarrouge, presidente executiva do Setcesp e idealizadora do Vez & Voz, durante o 3º Encontro Vez & Voz, que aconteceu no dia 26 de março, em São Paulo.

No caso das motoristas, além das questões de preconceito, ainda há a falta de experiência. Por outro lado, inúmeras empresas têm vagas abertas para o cargo. “Não estamos conseguindo fazer o match entre essas vagas e as mulheres que estão preparadas e buscam atuar na função. Sugerimos que seja criada uma bolsa-auxílio para que as empresas consigam contratar essas profissionais a fim de adquirirem experiência”, contou.

O Índice de Equidade considera diversos pilares: assédio, diversidade, funções e níveis hierárquicos, programas e benefícios, recrutamento e retenção, treinamento e capacitação, além de violência doméstica. “Todos são importantes não apenas para atrair, mas também para reter e incluir essas mulheres nas companhias”, explicou.

Em 2023, a soma dos pontos desses pilares no universo das empresas entrevistadas foi 37 de 100. Em 2024, chegou a 40, com melhoria na questão de assédio, tema trabalhado fortemente pela entidade através de conscientização e capacitação.

Inclusive, foi lançado o e-book Assédio no Trabalho – como ele se configura e o que as empresas podem fazer nesses casos, elaborado pelo Grupo de Trabalho do Setcesp e parceiros. Foi anunciado, ainda, o EAD sobre o Programa Emprega Mais Mulheres – Lei 14.457/22, que ensina como implantá-lo, já que é obrigatório, dando um norte e sugestões para as empresas.

Sobre motivação para continuar, apesar de tantas notícias de assédio e outras violências contra mulheres, Ana contou que tudo é um processo de construção. “Quando temos clareza sobre nossos propósitos e objetivos, precisamos nos unir a pessoas que compartilham da mesma energia e inspiração. Assim, realizamos ações e colhemos os resultados. O recente aumento da presença feminina nas empresas de transporte é um exemplo disso. Este é um movimento gradual e de longo prazo, mas acredito que estamos alcançando nossos objetivos aos poucos”, disse em entrevista exclusiva à Logweb.

Anote na agenda: No dia 4 de abril, irá ao ar uma Live do movimento para apresentar todos os resultados do Índice de Equidade de Gênero apurados, neste ano, sobre mulheres no TRC, no Canal do You Tube.

Volvo
BR-101
Mundial Express
Savoy
Globalbat
Retrak
postal