Facebook Twitter Linkedin Instagram Youtube telegram
Veículos 30 de junho de 2022

Scania comemora 65 anos no Brasil e lança edição especial de caminhões

Para comemorar os 65 anos de operações no Brasil, a Scania promoveu uma semana inteira de atividades, começando com uma coletiva de imprensa que reuniu jornalistas de todo país, no dia 27 de junho último.

Durante o evento, várias novidades foram apresentadas. Entre elas o lançamento da edição comemorativa, disponível nos modelos pesados RH 450 4×2 e 6×2, de 450 cavalos de potência, e RH 540 6×4, de 540 cavalos. Os motores são de 13 litros Euro 5, que desenvolvem torques respectivos de 2.350Nm entre 1.000-1.300 rpm e de 2.700Nm entre 1.000-1.350 rpm.

Serão apenas 265 unidades disponíveis, em duas opções de compra. Além da tradicional venda do produto personalizado, clientes que já tenham caminhões programados e faturados para serem entregues entre setembro e dezembro poderão transformá-lo em 65 anos. Basta ajustar os valores com a concessionária.

Além dos caminhões, pela primeira vez a marca criou um selo para que o cliente possa aplicar nos ônibus e também na linha de motores industriais, marítimos ou para geração de energia.

“Este veículo vai propiciar uma disponibilidade incrível ao cliente, que vai pagar um preço de programa de manutenção standard com os benefícios do Flexível Uptime, uma categoria acima, ainda levando o Control Tower, que só está incluso no Premium Flexível Uptime”, explica Silvio Munhoz, diretor de Vendas de Soluções da Scania no Brasil.

A Edição Comemorativa de 65 anos está equipada com teto alto, defletores, saia lateral, pintura nas cores na cor Nardo Gray exclusiva e customizada na saia lateral, nos para-lamas e retrovisores. Outros itens são: faróis de milha no teto e na grade, geladeira, faróis H7, climatizador e rodas de aço preta, além do Pacote Clássico (customizável).

Sustentabilidade

Motivo de orgulho para a empresa também é sua trajetória focando na sustentabilidade. “Celebramos o hoje da melhor forma possível: reforçando nossos compromissos com a descarbonização, investindo em pesquisa e desenvolvimento, pessoas e projetos de vanguarda que ditarão os próximos 65 anos. O futuro se faz agora”, diz Christopher Podgorski, presidente e CEO da Scania Latin America.

A fabricante sueca destaca seu sistema global de produção com a entrega da ampliação de sua fábrica de motores e de um novo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento. “Operamos como uma extensão da Suécia, nossa casa matriz, e temos um produto global, portanto ambas as iniciativas consolidam essa estratégia”, afirma Podgorski. As soluções são lançadas primeiro na Europa e depois na América Latina, com um intervalo de seis ou nove meses. De qualquer forma, a plataforma é a mesma, e é possível usar uma cabine produzida no Brasil em um caminhão feito na Suécia, e agora o motor.

Além desses investimentos, a Scania inaugura sua Estação de Tratamento de Efluentes. “Com esse projeto vamos tratar 72 milhões de litros de água por ano e, consequentemente, teremos 85% da água consumida oriunda de reuso”, explica Podgorski. Segundo ele, as ações estão dentro do ciclo de investimento (2021-2024) no montante de R$ 1,4 bilhão, recurso dedicado à atualização e modernização do parque industrial e desenvolvimento de tecnologias alternativas.

Descarbonização

Em busca de dados e fatos e para contribuir para a tomada de decisão sobre os caminhos para descarbonização do transporte, a Scania desenvolveu, juntamente com a Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas e a Bain & Company, o estudo “Transporte comercial net-zero 2050: caminhos para a descarbonização do modal rodoviário no Brasil”. O documento apresenta possíveis cenários para o país avançar na descarbonização do setor.

Entre os principais achados do estudo, está o fato de que para a equação brasileira será preciso incorporar todas as tecnologias existentes para fazer frente à meta zero carbono. “A demanda de energia gerada por caminhões e ônibus no Brasil precisará ser atendida por um ‘mix’ de tecnologias já desenvolvidas ou em desenvolvimento, devido a uma série de variantes, como a matriz energética e a vocação do país, infraestrutura, regulamentação necessária, necessidade de renovação de frotas, entre outras necessidades. O futuro do nosso transporte rodoviário será eclético”, expõe Podgorski.

Proconve 8

A partir de 2023 já está valendo no Brasil a etapa P8 do Proconve (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores), equivalente à tecnologia Euro 6, vigente na Europa desde 2014. Os motores a gás e biometano da Scania, tecnicamente, já atendem aos níveis de emissões de poluentes do Proconve P8 (Euro 6).

Os novos motores atenderão inicialmente os mercados de exportação. As demais regiões na América Latina, inclusive o Brasil, também serão contempladas gradativamente, conforme a estratégia de implementação da solução de cada mercado.

Mais comemorações

Para reforçar as celebrações, a Scania desenvolveu um almanaque digital, com os principais fatos históricos de sua trajetória, que poderá ser acessado gratuitamente por todos os admiradores da marca. As concessionárias poderão ainda personalizar o material e incluir seus próprios registros históricos para compartilhar com clientes.

A rede de concessionárias também vai realizar, entre os meses de julho e agosto, uma série de eventos regionais para celebrar além dos 65 anos de Scania no Brasil, o marco de 40 anos do Consórcio Scania.

História

A história da Scania no Brasil começou em 1957, quando a empresa ainda carregava o nome Scania-Vabis do Brasil S/A. Na época, os veículos vinham desmontados da Suécia e ficavam sob responsabilidade da Vemag, marca que os comercializava em São Paulo. A partir da década de 1960, a Scania passou a produzir integralmente seus caminhões e ônibus na fábrica inaugurada em 1962 em São Bernardo do Campo, SP, polo da industrialização nacional.

Ao longo de seis décadas, dentre diversas novidades, a Scania foi pioneira em trazer para o Brasil: a direção hidráulica (1963), ônibus com motor traseiro (BR115, em 1972), caminhão “cara-chata” (LK 140, em 1974), ônibus articulado (B111 RS, em 1977), freio auxiliar Retarder (1998) e caixa de câmbio automatizada, Opticruise (2001). Além do novo formato de venda de soluções (sistema TMA) e da linha a gás (natural e/ou biometano), que chegaram com a revolucionária Nova Geração de caminhões (com as entregas a partir de 2019).

No ano passado, a Scania atingiu a marca de 50 mil veículos conectados e, em 2022, chegou a mais de 600 unidades de caminhões a gás vendidos.

webinar
webinar
Retrak
savoy
Praxio
Farma
postal